Deputado presta homenagem a jornalista e defensor público



O deputado estadual Carlos Bordalo (PT) concedeu na tarde desta terça-feira (27) dois títulos honoríficos. Os homenageados foram o jornalista Júlio Saraiva e o defensor público Johny Giffoni. A cerimônia foi realizada no Plenário Newton Miranda, da Assembleia Legislativa do Pará.

Júlio Saraiva é jornalista, atualmente coordena o patrimônio do Tribunal de Contas do Estado e tem vasta experiência com o exercício do jornalismo político. Foi homenageado com o título de Honra ao Mérito pelas suas atividades políticas junto às classes populares. Júlio já foi articulista do Jornal O Liberal e colunista das revistas Amazon View e Conexão. Também foi apresentador do Programa Comando Marajoara e jornalista político na Rádio Pará, 1ª rádio de internet do Estado, assessor da Prefeitura de Belém, secretário de comunicação de Cametá e assessor do Gabinete Civil do Governo do Pará.




O defensor público Johny Giffoni recebeu o título de Cidadão do Pará pelos seus serviços prestados em defesa das pessoas em situação de vulnerabilidade e garantia de direitos. Carioca, é defensor público do Pará desde 2011. Dedicou-se também à valorização indígena, atuando em diversas comarcas do interior, valorizando a identidade e garantindo a alteração de registros de nascimento para nomes indígenas. Atuou como pesquisador na área de Segurança Pública e professor de ONGs e escolas técnicas. Até o ano passado, participava do Núcleo de Defesa do Consumidor. Atualmente está designado para o Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Pará. Johny também é membro do Instituto Brasileiro de Advocacia Pública (IBAP), Associação Brasileira de Magistrados e membro da organização Fórum Justiça.

O defensor destacou a importância de ter recebido o título de Cidadão do Pará: “Para mim é muito importante receber um título dessa magnitude indicado pelo deputado Carlos Bordalo, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alepa, pelo reconhecimento do trabalho que estamos fazendo em defesa dos direitos humanos enquanto defensor público no Estado”, comentou. “Como natural do Rio de Janeiro, fico feliz de ser reconhecido no Estado que me recebeu na minha carreira profissional, como ativista de direitos humanos, principalmente na defesa dos povos indígenas e quilombolas”, completou.

O Título de Cidadão equipara a pessoa homenageada a uma adoção oficial. A pessoa agraciada passa a ser um irmão, um conterrâneo, uma pessoa da terra natal.

Comentários