segunda-feira, 14 de março de 2016

Novo julgamento do mandante do assassinato de extrativistas será em Belém

Maria e José Cláudio foram assassinados em 2011
O Tribunal de Justiça do Estado do Pará – TJE-PA, deferiu no final da manhã desta segunda-feira o pedido de desaforamento para Belém do julgamento do fazendeiro José Rodrigues Moreira, acusado de ser o mandante do assassinato do casal de extrativistas José Claudio Ribeiro da Silva e Maria do Espirito Santo Silva.

Em 2013, o fazendeiro José Rodrigues Moreira foi julgado e absolvido, pela Comarca de Marabá (foto abaixo), mas a decisão dos jurados contrariava provas apresentadas nos autos, como fatos que indicam que o crime foi motivado por disputa de terra. Diante das circunstâncias, os desembargadores do TJE anularam o julgamento no ano seguinte. Agora, pelo desaforamento julgado e deferido no final da manhã de hoje, o novo julgamento do mandante do assassinato dos extrativistas será em Belém. Agora é esperar a marcação do Juri que, caso a defesa não recorra, pode ser ainda neste ano. 

A sustentação oral do pedido de desaforamento foi feita pela Sociedade de Defesa dos Direitos Humanos-SDDH, a pedido da Comissão Pastoral da Terra - CPT, numa bela atuação do advogado Marco Polo. Parabéns a todos e, especialmente, ao TJE pela decisão de deferir o desaforamento.

José Rodrigues Moreira (sentado primeiro à esquerda)
Os extrativistas José Claudio Ribeiro da Silva e Maria do Espirito Santo Silva foram assassinados por dois pistoleiros, em 2011, dentro do assentamento que viviam, em Nova Ipixuna. O casal denunciava ações ilegais de madeireiros e carvoeiros na região.

Os disparos que tiraram a vida do casal foram feitos pelos pistoleiros Lindonjonson Silva e Alberto do Nascimento, ambos condenados a mais de 40 anos prisão. No ano passado, Lindonjonson Silva fugiu da penitenciária de Marabá de forma misteriosa e até agora não foi recapturado. No dia 24 de maio o assassinato do casal vai completar cinco anos.

Nenhum comentário: