sexta-feira, 18 de março de 2016

125 ex-catadores do Aurá recebem certificados e estão inseridos no mercado de trabalho


A Comissão de Direitos Humanos da Alepa, da qual sou presidente, realizou nesta sexta-feira, na comunidade ao Aurá, a entrega dos certificados aos ex-catadores que participaram dos cursos oferecidos pelos parceiros Senac, Senai, Senar, Basa e Ong No Olhar. 125 ex-catadores estão agora capacitados para o mercado de trabalho.

A ação da Comissão de Direitos Humanos iniciou em julho do ano passado, quando recebemos na Alepa a Comissão de Mulheres do Aurá. Com o fechamento do lixão, uma crise humanitária se abateu entre as famílias que ficaram sem emprego. Visitamos o lixão, formamos parceiros e agora estamos finalizando uma das etapas mais importantes da campanha em defesa dessas famílias. o.
Iniciamos uma ação, formamos uma super equipe de parceiros e, hoje, mais de 150 cidadãos estão aptos a enfrentar o mercado de trabalho, uma mudança de vida. A entrega dos certificados estão sendo feitas no Aurá, portanto, na comunidade.

Quero aqui agradecer o Senai, através de Flora Barbosa, que capacitou 31 pessoas nos Cursos de eletricista predial e pedreiro. Agradecer ao Senac, que foi representado por Vivia Castro, que capacitou 21 pessoas no curso de assistente administrativo.

O Senar também teve papel importante nessa etapa, quando certificou 72 pessoas da comunidade, que receberam capacitação na área da agricultura familiar, com treinamentos voltados para o associativismo, avicultura, apicultura, produção de açaí e manejo de açaizais, em parceria com o Basa e com a Ong No Olhar. O Senar foi representado no evento por Camila Marques.

Uma nova etapa vai começar em abril, com os cursos de soldador e acabamento, esse para dar continuidade no curso de pedreiro, oferecido pelo Senai. Esses cursos serão oferecidos pelo novo parceiro, o Instituto Federal de Educação, IFPA. O professor Hélio Almeida fez o anúncio dos novos cursos e já sinalizou para logo em seguida o curso de eletricista.

Foi um momento de muita satisfação, primeiro pelo sentimento solidário que se criou entre a Comissão de mulheres do Aurá, as instituições parceiras e a Comissão de Direitos Humanos da Alepa.

O meu sentimento é de dever cumprido e mais uma vez de evidenciar que a defesa da dignidade humana, a defesa dos direitos humanos, é a defesa de oportunidades para todos, e para que os cidadãos e cidadãs tenham seus direitos garantidos.


Vamos continuar com esse trabalhado, apoiando a comunidade do Aurá, os ex-catadores,  para que possam redesenhar suas trajetórias de vida, com dignidade, inseridos no mercado de trabalho, para oferecer as suas famílias uma melhor qualidade de vida.

Nenhum comentário: