Número de mortes no trânsito na cidade de São Paulo cai 21,4%

Exemplo de política pública que dá resultados efetivos.
São Paulo – O número de mortes no trânsito da cidade de São Paulo, entre janeiro e novembro do ano passado, caiu 21,4% em comparação com igual período de 2014. Os dados foram apresentados hoje (11) pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e apontam para 246 mortes evitadas. A maior redução corresponde a acidentes envolvendo ciclistas – queda de 27,4%.
No período analisado do último ano, a CET contabilizou 904 óbitos em acidentes de trânsito, enquanto em igual período de 2014 foram 1.150. O dados isolados do mês de novembro apontam para uma redução nas mortes de 23,5%, com 75 casos no ano passado, ante 98 em 2014. Entre os ciclistas, foram 31 acidentes fatais, ante 43.
Os bons resultados indicam, de acordo com a CET, que o Programa de Proteção à Vida (PPV), implementado pela gestão de Fernando Haddad (PT), estão colaborando para uma cidade mais segura. O objetivo da capital paulista é se aproximar da meta para a Década de Segurança Viária, sugerida pela Organização das Nações Unidas (ONU), que propõe um teto de seis mortes a cada 100 mil habitantes por ano até 2020. Atualmente, a cidade está com média de 8,36 mortes por 100 mil habitantes, um bom número perto da média do estado de 17,40 mortes por 100 mil habitantes.
Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, a redução expressiva de mortes entre os ciclistas está relacionada à expansão na malha cicloviária. “A decisão da política pública voltada à bicicleta também está fomentando a conscientização de um transito mais seguro e pacífico”, afirmou o secretário Jilmar Tatto. Atualmente, a cidade conta com 381 quilômetros de ciclovias, sendo 284,4 quilômetros implementados na atual gestão.
A CET destaca outros fatores. O PPV contempla uma séria de ações para um trânsito mais seguro, especialmente para pedestres. A redução das mortes neste grupo foi de 23,9%. Iniciativas como redução de velocidade em diversas vias da capital, bem como a revitalização de 4.537 semáforos e os bolsões de parada junto aos semáforos para ciclistas e motociclistas contribuem para o atual cenário.
Também houve queda em relação às mortes envolvendo motociclistas, de 410 em 2014 para 332 no ano passado. “A maior fiscalização e implantação de sinalização específica para motociclistas tem ajudado a reduzir o índice de acidentes”, afirmou o secretário.

Comentários