quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Incra/PA busca parcerias com UFPA, UFRA e Embrapa para desenvolver assentamentos

A Superintendência Regional do Incra no Pará, com sede em Belém, tem buscado ampliar parcerias com as três principais instituições de ensino e pesquisa do Estado. O diálogo tem sido com objetivo de estreitar laços no trabalho científico, garantindo a transferência de suas tecnologias e experiências ao longo de presença do Incra na Amazônia para melhoria de vida dos assentados e desenvolver os assentamentos.
O estabelecimento de Termos de Cooperação Técnica permite a realização de projetos de capacitação, produção, planejamento e comercialização de produtos da agricultura familiar. Com as parcerias os técnicos do Incra ampliam o desenvolvimento rural sustentado nos assentamentos na área de atuação do Incra/PA, com destaque para as regiões do Marajó e Nordeste Paraense.
Reuniões
As reuniões do Incra/PA em busca de parcerias com instituições de ensino e pesquisa foram realizadas nos últimos dias na Universidade Federal do Pará (UFPA), com o professor MSc. Mauro Veloso, diretor de Programas e Projetos, e na Universidade Federal da Amazônia (UFRA), com o magnífico Reitor Sueo Numazawa, enquanto que na Embrapa Amazônia Oriental o diálogo foi com Adriano Venturieri, chefe-geral. 
Nas reuniões ficou estabelecido que o prazo para que os termos de cooperação estejam assinados é até setembro de 2015, a fim de que se possa iniciar todo um processo de mobilização das famílias a serem beneficiadas. Além das parcerias institucionais, o Incra buscará articular com prefeituras municipais, sindicados de trabalhadores rurais, associações de pequenos e médios produtores para constituir uma rede de apoio e de debate sobre as melhorias nos projetos de assentamento, projetos agroextrativistas e as reservas extrativistas. 
Segundo o superintendente do Incra/PA, Nazareno de Souza Santos, essas parcerias são importantes para órgãos e beneficiários. “As parcerias são essenciais para o desenvolvimento dos assentamento, ao se aproveitar o conhecimento científico das Instituições de pesquisa e ensino articulado com as políticas já desenvolvidas pelo Incra/PA - como assistência técnica, educação rural e crédito. Com isso, se estabelece uma relação de apoderamento por parte dos assentados na definição do seu próprio caminho. Sem dúvida esse dialogo pode colher bons frutos”, afirma Nazareno. 
De acordo com o professor Mauro Veloso, a UFPA tem disposição em contribuir com esta nova etapa do Incra/PA. Para o chefe da Embrapa, Adriano Venturieri, “não há dúvida que uma parceria com o Incra trará avanço tecnológico importantíssimo para as famílias assentadas”.

Nenhum comentário: