quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Comissão de Direitos Humanos da Alepa se une a Cáritas Brasileira para debater e encontrar soluções para a fome e a pobreza

A Comissão de Direitos Humanos da Alepa, da qual sou presidente, será parceira da Cáritas Brasileira, Regional Norte II, na Audiência Pública que vai debater a situação da fome e da pobreza no Brasil, sobretudo na Região Norte do país, bem como os impactos e influência dos grandes projetos presentes na Região Amazônica. O evento vai ser realizado em Santarém, no dia 21 deste mês de agosto.

A Secretária Regional da Cáritas Brasileira Regional Norte II, Keila Souza Marães, reuniu na manhã desta quinta-feira, com os assessores técnicos da CDH, Shirle Meira e Carlos Marques, (foto) para o planejamento da Audiência Pública, que acontece durante o Encontro Interregional da Cáritas Brasileira, onde estarão presentes representantes dos Estados do Amazonas, Acre, Roraima, Rondônia, Amapá e Pará.

A sugestão pela realização da Audiência Pública em Santarém se deu por ser o terceiro município mais populoso do estado do Pará, principal centro urbano, financeiro, comercial e cultural do oeste do Pará. Pertence à mesorregião do Baixo Amazonas e a microrregião de mesmo nome, situando-se na confluência dos rios Tapajós e Amazonas, localizado a cerca de 800 km das metrópoles da Amazônia (Manaus e Belém). Além disso, destacam-se as situações de tensão pelo controle do território e recursos existentes na Amazônia, entre comunidades tradicionais e as grandes corporações de mineração, monocultivos e projetos de geração de energia.

Como exemplo da presença dos grandes projetos na região, destaca-se a  empresa de Mineração Rio do Norte (MRN), que extrai a matéria prima para a produção de alumínio e bauxita, instalada na região por mais de três décadas. Outro exemplo, diz respeito à empresa Cargil, responsável pelo monocultivo de soja, o que gerou a expulsão de diversos agricultores do campo para a cidade. E a empresa Alcoa, instalada no Município de Juriti, realiza a extração de bauxita no referido município. Essa extração é responsável pela derrubada de cerca de 300 hectares de floresta por ano.

A Cáritas Brasileira, fundada em 12 de novembro de 1956, é uma das 164 organizações-membro da Rede Cáritas Internacional presentes no mundo. Com quase 60 anos de história, é uma rede solidária de mais de 15 mil agentes, a maioria voluntária, por todo o país. Nos últimos 10 anos, auxiliou maisde 300 mil famílias, contribuindo para a transformação de suas vidas e devolvendo a elas a esperança de novas conquistas.

Nacionalmente, a Cáritas é um organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A Comissão de Direitos Humanos da Alepa se sente honrada em ser parceira desta organização, no planejamento e organização da Audiência Pública em Santarém.

Nenhum comentário: