Pais, estudantes e professores denunciam a triste realidade da educação em Barcarena

Estudantes, pais e professores estão revoltados com o descaso do governo do Estado com a educação em Barcarena. A crise atinge o Ensino Médio e o Ensino Fundamental. Esta semana foi realizada uma Audiência Pública no Município, onde pais e alunos denunciaram a triste realidade local.

A Audiência Pública contou com representantes da Comissão de Direitos Humanos da Alepa, da qual sou presidente. Foram tratados os problemas das escolas estaduais de Barcarena, com ênfase em: falta de estrutura física,  falta de professores e demais servidores e a insegurança.

A crise é tamanha que há escola que ainda nem iniciou as aulas por falta de estrutura, como é o caso da Escola Conego Batista Campos.  Nessa escola, já foram registrados este ano mais de 20 roubos.

Outra escola, a Palmira Gabriel, está com cinco salas interditadas por rachadura, risco de desabamento. Há, inclusive,  laudo do Corpo de Bombeiros. Pais, alunos e professores dizem que o Estado não assume seu papel. A revolta é geral em Barcarena.

Outra denúncia apresentada na Audiência Pública: na escola Eduardo Angelim alunos e professores sofrem com arrastões. Bandidos entram e roubam os alunos e quem não tem celular ou algo para ser roubado é agredido.

A Comissão de Direitos Humanos está preparando um relatório da situação para que sejam encaminhados pedidos de providências. A triste realidade da educação em Barcarena, só reflete o tratamento desse governo estadual com nossos estudantes. É esse o “Pacto pela Educação”?

Comentários