quarta-feira, 27 de maio de 2015

A difusão da violência urbana na periferia de Belém é tema de debate no NAEA-UFPA

O resultado das investigações da CPI das Milíciais da Alepa, da qual fui o relator, foi tema de minha palestra na Mesa-redonda  realizada no auditório do Núcleo de Altos Estudos da Amazônia, NAEA, na UFPA. 

A CPI foi instalada após a “Chacina do Guamá” ocorrida em novembro de 2014, após o assassinato do Cabo Peti. Esse crime motivou a morte de dez pessoas nos bairros do Guamá e Terra Firme, nos dias 4 e 5 de novembro.

O relatório concluiu que o crime organizado está instalado no Estado do Pará. E o que é pior: as milícias que comandam o crime organizado são formadas por policiais. Fiz um relato da participação dessas milícias na Chacina do Guamá. 



A Mesa-redonda também teve a explanação da pesquisa do professor Aiala Colares, sobre o narcoterritório e as milícias na periferia de Belém. Ele detalhou como é planejado o crime organizado na capital. Foi um debate de alto nível e esclarecedor. Parabéns à professora Ana Prado e sua equipe do NAEA.



A solução para a crise, a curto prazo, é apresentada em várias vertentes: a ocupação, pela segurança pública, das áreas comandadas pelo crime organizado, uma ação efetiva contra o crime de varejo, que são os assaltos nas ruas e nos ônibus, o roubo de celulares, e ter a coragem de enfrentar o comando do crime organizado, que não está na periferia.

Nenhum comentário: