Exploração de garimpo de Cachoeira do Piriá em debate

Com uma população estimada em 30 mil habitantes, Cachoeira do Piriá, no nordeste paraense, continua com um embate que já dura décadas.  

Parte da população, que vive literalmente sobre um depósito subterrâneo de ouro, sobrevive do garimpo. Porém, o mais recente diagnóstico social lá realizado concluiu que a taxa de analfabetismo no município é de 76%, o índice de pobreza chega a 49,7%, o rendimento médio da população é de R$ 196,53, sendo o último censo do IBGE, e 40% das famílias dependem do Bolsa Família.

Hoje, o garimpo continua a principal atividade do município. Mas só com garimpeiros? Nos primeiros tempos, sim. Depois deles, entretanto, vieram as mineradoras, responsáveis por um entrave que parece não ter fim.

Por proposição de meu Mandato, realizei nesta quinta-feira(26) um Sessão Especial para dar continuidade a discussão sobre a exploração mineral aurífera em Cachoeira do Piriá. O evento aconteceu no auditório João Batista, da Alepa.

Os impactos sócioambientais e de que modo os garimpeiros e a população da região serão beneficiados com a exploração de ouro por parte da empresa BRI Mineradora, foram os principais temas do debate.

Debatemos, também, as garantias de investimentos para o município, com a lavra industrial. É uma preocupação muito grande, dada a realidade que vivem os cidadãos de Cachoeira do Piriá, além dos desdobramentos do relatório da Audiência Pública realizada no município, dia 19 de dezembro do ano passado.

É preciso haver equilíbrio entre empreendedorismo econômico e responsabilidade social. Nós precisamos, sim, restaurar o princípio de legalidade na atividade garimpeira e ao mesmo tempo montar uma equação em que todos possam ganhar o que é justo.

Mas, é importante destacar, também, que o nosso propósito será sempre o interesse público e de um olhar muito especial para a questão social e de direitos humanos, que estão acima de qualquer outra questão.  Eu quero que o município ganhe, mas é preciso que ganhe primeiro a comunidade, o povo de Cachoeira do Piriá



Enviaremos os relatórios e as notas taquigráficas da Sessão Especial, que é o documento oficial, a todos os órgãos que têm, de alguma forma, algo a dizer sobre a questão.  Se tiver que ir a Brasília, ao lado dos garimpeiros, nós vamos.

Participaram da Sessão Especial a prefeita de Cachoeira do Piriá, Bete Bessa, do vereador Toinho, que também é presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal, e representantes da Cooperativa de Garimpeiros, Semas, DNPM, CPRM e da empresa BRI, garimpeiros e cidadãos do município, além dos deputados Soldado Tércio, Eliel Faustino e José Scaf. 

A Sessão Especial foi tema de entrevista à Rádio Web da Alepa, Veja:

Comentários