Da tribuna: "É preciso resgatar a dignidade da educação pública no Pará"

Eu venho já algum tempo alertando o governador Simão Jatene e o Secretário de Educação, Helenilson Pontes, que é preciso medidas urgentes para enfrentar essa crise estrutural da educação do nosso estado. Agora, não é o Bordalo, não é o PT, não é a oposição que está falando. É o Ministério Público, Federal e Estadual. Os dois Ministérios Públicos fecharam relatório, que é estarrecedor, que constata índices sofríveis da educação do Pará. Constata a condição sub-humana das escolas, a degradação do transporte escolar, a dificuldade da educação do estado em ter um projeto pedagógico continuado.

Portanto, a educação do Pará, como outras áreas, inspira cuidados. E o que espanta é o silêncio 'olímpico' das excelências responsáveis pela educação do estado. 

Eu recebi em meu gabinete uma comitiva de estudantes da UEPA, uma universidade pública estadual. O campus de São Miguel do Guamá, dá pena de ver! (fotos).As salas todas quebradas, assim como as cadeiras, computadores inexistentes. Fiação elétrica exposta, colocando em risco a vida de alunos. Ausência de laboratórios. 

É lastimável o quadro de abandono da educação no Pará. O que fazer? É preciso sair do discurso marqueteiro do tal ‘Pacto pela Educação’. Que pacto é este que não resolve problema simples de fiação de luz de escola? Que Pacto é este que está levando milhares de estudantes paraenses a se evadirem das escolas sem concluírem o ano, por total falta de condições de ensino de nosso estado? Mais uma vez eu alerto que o quadro é grave. Nós estamos perdendo uma geração. 

Ainda no domingo, os jornais publicaram índices preocupantes da carência, da fragilidade do ensino do 2º grau no estado. Nós estamos perdendo uma geração que sai das escolas sem dominar completamente as operações de matemática, sem saber corretamente a língua portuguesa. Como é que pode? Esses alunos no futuro, na sua progressão educacional, terem um ensino de qualidade? 

Portanto, é preciso que o governo do estado, que sua excelência, o governado Simão Jatene, que o secretário de Educação, ex-vice-governador, Helenilson Pontes, saiam do marketing do “Pacto pela Educação” para, de fato, assumirem suas responsabilidades de proverem esse estado de providências urgentes, para resgatar a dignidade da educação pública do Pará.

Comentários