Ações do Mandato nesta terça-feira

O acesso à saúde é condição básica de cidadania para qualquer população e especialmente às comunidades rurais, que não dispõem de serviços de saúde de média e alta complexidade, como é o caso da comunidade Jacamim, em Aurora do Pará. 

Distante da sede do município, a comunidade se recente da falta de ambulância para o transporte de seus enfermos, sendo obrigada a contar com a boa vontade de parentes, vizinhos ou arcar com o “frete” de vans e veículos que prestam serviços de táxi. O problema é crônico na comunidade.

Por esses motivos, encaminhamos hoje ao Secretário de Estado de Saúde e a Prefeitura Municipal de Aurora do Pará, o pedido de uma ambulância para o transporte de pacientes da comunidade Jacamim, em Aurora do Pará.

Outra Moção apresentada hoje pede à Prefeitura Municipal de Maracanã a construção da Praça São Pedro e de um espaço para a prática de esporte na Vila da Penha, no município de Maracanã. Também encaminhamos pedido ao INCRA para a construção de um trapiche em concreto armado na comunidade.

Também solicitamos ao Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Pará a indicação de um novo Juíz de Direito para a Comarca de Igarapé Miri. A Comarca está sem um Juiz para dar prosseguimento ao processo penal das ações criminosas executadas pelo ex-prefeito Pé de Boto.

O ex-prefeito impôs o terror na sociedade de Igarapé Miri, envolveu até policiais militares e calou pelo medo as demais autoridades municipais. Em razão do foro privilegiado, por conta da condição de prefeito, as investigações foram conduzidas pelo Procurador Nelson Medrado com o suporte do Delegado Marco Mileo, do Grupo de Pronto Emprego da Polícia Civil. O ex-prefeito e sua quadrilha foram presos.     

Porém, os desmandos e o pânico voltaram, a prisão dos criminosos foi relaxada para que possam responder ao processo em liberdade. Intimidação, ameaças de morte e desaparecimento de desafetos e testemunhas somam-se a cassação de Pé de Boto pela Câmara, razão pela qual o foro voltou a ser o da comarca de Igarapé Miri.


Como a comarca está sem Juiz, o processo penal está paralisado. Aliás, por esse motivo dei entrada a um Requerimento encaminhando votos de solidariedade ao Procurador de Justiça, Nelson Medrado.

Comentários

Anônimo disse…
ATENÇÃO GOVERNADOR OS SERVIDORES DO CARLOS GOMES QUEREM O MESMO DIREITO DADO A UEPA.

Em 2013,O Instituto Estadual Carlos Gomes, mantido pela Fundação Carlos Gomes, foi autorizado a ofertar os Cursos de Bacharelado em Música de forma independente, OU SEJA,transformou-se em UNIVERSIDADE DE MUSICA DO PARÁ. Com isso os SERVIDORES DA FUNDAÇÃO querem receber do governo estadual a MESMA GRATIFICAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE 30% QUE É PAGA a todos os servidores da UEPA.

ASSIM TODOS OS SERVIDORES DO CORPO ADMINISTRATIVO E DOCENTES RECEBERIAM A GRATIFICAÇÃO.

Por isso senhor governador do ESTADO do PARÁ Simão Robison Oliveira Jatene, nada mais justo do que pagar
aos servidores da FUNDAÇÃO CARLOS GOMES A GRATIFICAÇÃO DE 30% pela dedicação que também os servidores tem pelo ensino superior de música do Pará, sendo agora independente da UEPA.