Sessenta pessoas deverão ser indiciadas em CPI


O relatório dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito, instalada na Assembleia Legislativa, e que investiga a atuação de milícias e grupos de extermínio no Estado deve pedir o indiciamento de mais de 60 pessoas ligadas direta e indiretamente à prática - incluindo participantes da facção que atuava no bairro do Guamá e que teria como um dos membros o policial militar Antônio Marco Figueiredo, o “cabo Pet”, cujo assassinato, na noite do dia 4 de novembro de 2014 foi seguido de outros dez assassinatos, na madrugada do dia 5, em retaliação, episódio este que ficou conhecido como a “Chacina de Belém”.

O relatório da CPI das Milícias ficou pronto no sábado (24), e sofreu uma primeira revisão do próprio relator, deputado Carlos Bordalo (PT), desde o domingo (25), pela manhã, tendo sido concluída ontem, em uma reunião que contou ainda com a presença do deputado Edmilson Rodrigues (PSOL) e assessores da Comissão.

O voto do relator será analisado em uma reunião fechada, nesta terça-feira (27), a partir das 10h, na sala dos ex-presidentes, pelos demais integrantes da Comissão, que é presidida pelo deputado Augusto Pantoja (PPS), e têm ainda como membros titulares os deputados Chicão (PMDB) e Tetê Santos (PSDB). O documento produzido pela relatoria contém aproximadamente 300 páginas.
Além disso, outras 30 recomendações de providências aos poderes constituídos e ao Ministério Público foram propostas. O prazo de entrega do relatório é o dia 31 de janeiro.

Fonte: Diário do Pará http://migre.me/om7ai

Comentários