Comprometimentos de Bordalo com as Mulheres:


Muitas leis garantem os direitos das mulheres no Brasil, mas falta vontade política das autoridades para fazê-las cumprir. E no Estado do Pará não é diferente. Nós, mulheres do Comitê Mulheres que apoiam Bordalo, reconhecemos nele um forte aliado na defesa dos nossos direitos e na cobrança de políticas públicas que realmente garantam melhores condições de vida para todas.

A violência contra a mulher no Estado do Pará chega a níveis gritantes e assusta a todas nós. Precisamos que esse mal seja combatido e investigadas suas causas com severa punição aos responsáveis pela violência, que coloca o Estado do Pará em 4º lugar no ranking nacional. Precisamos de ações mais contundentes no combate à violência contra a mulher no Pará, onde sete municípios figuram entre os cem mais violentos do País.

Apenas de 2011 a março de 2012 foram registrados 54.183 casos de violência contra a mulher no Estado do Pará. Os números de estupros assustam: só em 2013, quase 1.000 mulheres foram estupradas na Região Metropolitana de Belém, sem que tenhamos visto uma única ação contundente no sentido de parar essa violência.

Apoiamos, assim, a proposta de Bordalo por uma CPI que promova uma ampla investigação dos crimes de violência contra a mulher no Pará. Que investigue e exija a punição dos responsáveis por espancamentos, estupros e mortes de mulheres no Pará.
Mas, sabemos que não basta somente combater a violência. Violência é apenas um sintoma mais grave de uma série de deficiências, de problemas e de omissões do poder público. 

Mulheres lutam por seus direitos, mas precisam de parlamentares que cobrem medidas punitivas e políticas públicas inclusivas, que realmente invertam a atual lógica perversa que coloca a mulher em situação degradante.

Por isso, nosso apoio ao deputado Bordalo, parlamentar em quem confiamos para implementar algumas importantes bandeiras de luta de nossa categoria, como:

Escola em tempo integral, creches e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Há verbas do Governo Federal e políticas públicas para implementação desses benefícios, cabe aos governos estaduais e locais executarem;

Saúde mental – Mulheres vítimas de violência doméstica, de abusos sexuais, e que desenvolvem depressão, problemas mentais, necessitam de espaços adequados para sua recuperação. Assim como seus filhos precisam de ajuda e cuidados especiais para não ficarem marginalizados;

Tratamento de mulheres idosas vítimas de Alzheimer e mulheres negras vítimas de anemia falciforme – O Pará é um Estado líder em anemia falciforme, e as mulheres são as principais vítimas. Falta assistência, não há estrutura voltada para atender essas mulheres. Há recursos, mas falta decisão política para a sua implementação;

Mais escolas para adultos – É preciso mais escolas e incentivo para as mulheres voltarem a estudar, para que tenham condições de se defender e exercer sua cidadania;

Mais Informação - Mulheres precisam de mecanismos de informação mais precisos, garantindo o acesso aos seus direitos, como Maria da Penha, assistência na saúde, atendimento médico, etc.

Já existem muitas leis que garantem estes direitos, só não se cumpre. É preciso cobrar prefeitos e Governador. Confiamos no deputado Bordalo como porta voz do segmento feminino na luta por direitos iguais e mais avanços para as mulheres do Pará.




Comentários