“Jatene virou o governador das ordens de serviço”, declara Bordalo

A pouco mais de quatro meses para o término da gestão, o governador do estado Simão Jatene (PSDB) tem se apressado em inaugurar, pelos quatro cantos do Pará, ordens de serviço, no desespero de garantir sua reeleição no pleito de 2014. Um bom exemplo foi a assinatura, em maio deste ano, da ordem de serviço para a construção do futuro Hospital Regional de Castanhal.

Boa parte das obras do governo Jatene -- prontas ou em andamento -- são oriundas da gestão petista de Ana Júlia Carepa, como a nova Santa Casa e a ampliação do Hospital Ophir Loyola (HOL), além das obras de mobilidade urbana da Região Metropolitana de Belém, como os prolongamentos das Avenidas Independência, João Paulo II e Perimetral, investimentos do governo federal. Pobre em obras, Jatene quer mostrar somente ao final de sua gestão a que veio.

LDO

Nesta terça-feira, 24.06, foi votada pelos deputados da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), durante a última sessão ordinária do 1º semestre legislativo de 2014, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício de 2015. O deputado Carlos Bordalo (PT) se absteve da votação e justificou sua decisão. 

Segundo o parlamentar, o atual projeto enviado pelo executivo à Casa contém velhos vícios da visão tucana para o desenvolvimento do Pará. “É impressionante como este ano o endividamento do estado já ultrapassa a marca dos R$ 7 bilhões. Para onde foi todo este dinheiro gasto? ”, indagou Bordalo. “São obras concentradas em poucas áreas, que não têm atendido a grande maioria do povo do Pará, mas que ganham relevo na propaganda governamental na televião”, completou.

“Enquanto isso, o que se vê é um governador percorrendo os quatro cantos do estado, assinando papéis com promessas eleitoreiras. “Jatene virou agora, no final de sua gestão, o governador da ordem de serviços”, disparou Bordalo.

Comentários