sexta-feira, 28 de junho de 2013

NÃO HÁ DEMOCRACIA SEM PARTIDOS

Por Marcelo Semer, no blog Sem Juízo:

Poucas pessoas podem arriscar dizer hoje que consequências as manifestações de rua terão para o futuro da democracia brasileira.

Há quem comemore o prenúncio de uma democracia direta, cobrindo o visível déficit de legitimidade da política representativa.


Há quem receie o abandono dos partidos, como um campo livre para aventureiros de todos os gêneros.

A carona que parte da sociedade tomou na manifestação inicial do Movimento Passe Livre pode até ter desfigurado a integridade de seu conteúdo, pela redução da tarifa, ao compartilhar insatisfações distintas e mesmo excludentes entre si.

Mas algumas lições podem ser aprendidas com essas caminhadas coletivas.

A primeira delas é o resgate da importância do direito à manifestação.

Muitas pessoas vêm ocupando as ruas há anos empunhando suas bandeiras, cientes de que só existe negociação quando se cria pressão. Mas a verdade é que quase sempre são recebidas com má vontade, quando não com forte repressão.

A perturbação ao trânsito, travestida indevidamente de afronta a direito fundamental, e o incômodo ao cotidiano, já custou a integridade física de muitos desses manifestantes.

Nem precisamos ir longe.

Na última quinta-feira, os principais jornais de São Paulo, Folha e Estadão, cuidaram de deslegitimar totalmente as manifestações, ao acusar seus autores genericamente de vândalos, incensando a repressão policial.

Mas depois de milhares de pessoas na rua, transformados de um dia para outro em ativistas, quem se lembrou de repetir “que era hora do basta” ou exigiu “retomar a Paulista” para os automóveis?

Nada disso, por óbvio, exclui a reprovação aos atos de depredação, que os próprios manifestantes vem tentando impedir, como se viu ontem diante da Prefeitura de São Paulo.

E os saques oportunistas de quem apenas se esconde no meio de uma multidão pacífica para tomar proveito para outros fins.

A segunda lição é a sem-cerimônia com que o Estado abraça a repressão, quando estimulado pelos setores que gritam por lei e ordem.

Isto está longe de representar apenas excessos de funcionários despreparados –vem sendo constantemente traduzida como política de governos, seletiva, aliás, como tantas outras políticas públicas. 

Não à toa, os índices de violência policial são expressivos e as maiores vítimas são jovens negros da periferia. O ponto fora da curva foi vê-la dirigida a destinatários pouco tradicionais, como os jornalistas, o que acabou por aumentar a visibilidade.

Por fim, começamos a entender que na democracia, o voto é uma condição necessária, mas está longe de ser suficiente.

E isso é um avanço, porque todas as vezes em que se pretendeu aprofundar mínimos espaços de democracia direta, com participação de entidades sociais na formulação de políticas ou mecanismos de plebiscito e referendo, pairou sobre seus autores a acusação de chavismo.

Há uma impressão arraigada em certos setores que o povo é sempre influenciável e refém de benesses governamentais, de modo que ouvi-lo é quase um sinônimo de autoritarismo.

Porém, quanto mais a política se mantém distante da sociedade, mais se torna surda, isolando-se em um curto-circuito que a autolimita a acordos e concessões mútuas.

A reinvenção da democracia pode introduzir novos atores e novos papéis à cena política. Mas dificilmente será exercida sem participação do povo, sem os partidos e sem o exercício consciente das liberdades.

Como conjugá-los é a tarefa que nos cabe construir.
Fonte: http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/06/nao-ha-democracia-sem-partidos.html

O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM A SAÚDE DO PARÁ?


Uma das bandeiras da campanha do então candidato ZENALDO COUTINHO, o "S" da saúde, pelo andar da carruagem não entrou em ação de fato. O que se viu até agora foi o inusitado ESTADO DE EMERGÊNCIA NA SAÚDE, que permitiu ao gestor municipal realizar compras sem o rígido processo licitatório que a Lei 8.666/93 exige nas situação ditas "normais", e o anúncio da aquisição do prédio velho do Hospital Porto Dias pela bagatela de 100 milhões de reais, acompanhando a política que vem sendo feita pelo PSDB a nível estadual, com a compra de mais de três hospitais no Pará. 

Recuperando a plataforma de campanha do então candidato, considerando que já temos 6 meses de governo municipal, sinto falta dos tão propalados postos de saúde 24h nos bairros. Talvez estes 100 milhões pudessem ser a saída para que a atenção básica, que de fato deveria ser a tônica dos investimentos, viesse a funcionar efetivamente para desconcentrar a urgência e emergência e, consequentemente, a média alta complexidade. 


Agora com as greves anunciadas, pela falta de capacidade de negociação da gestão municipal, todo o complexo de atendimento ficará comprometido e quem pagará esta conta é a população.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Repercussão audiência pública em Bujaru

Nota publicada nesta quinta-feira, 27.06, na coluna Repórter 70, do jornal O Liberal.

A posição de Dilma sobre o plebiscito


Jornal GGN - No Palácio do Planalto, a percepção é que, com a proposta do plebiscito para a reforma política, o governo agarrou uma oportunidade e avançou.
Na segunda feira, Dilma Rousseff defendeu um “plebiscito que autorize o funcionamento de um processo constituinte específico para fazer uma ampla e profunda reforma política, que amplie a participação popular e amplie os horizontes da cidadania”.
Seguiu-se uma discussão sobre a viabilidade de uma constituinte, o tempo que tomaria a eleição dos constituintes, a votação, aprovação das medidas e sua execução.
Foi quando surgiu a oportunidade do Plebiscito, uma alternativa mais simples e que Dilma considerou muito mais democrática. Na Constituinte, o povo delega poderes aos seus representantes; no plebiscito, é a democracia direta em funcionamento.
Há diferenças entre Plebiscito e Referendo. No Plebiscito, o povo escolhe entre opções (em 93, decidiu entre Monarquia e República, entre Presidencialismo e Parlamentarismo); no referendo responde apenas Sim ou Não para uma decisão tomada pelo Congresso.
No Plebiscito, o povo decidirá se quer financiamento público ou privado nas campanhas, se quer um sistema de voto distrital, etc... No Referendo, só responde se aprova ou desaprova o prato feito pelos parlamentares.
Espera-se reação dos grupos de mídia, sob o argumento de que o povo não tem capacidade de entender o que está se discutindo. Mas considera-se que a interação das redes sociais permitirá um nível inédito de entendimento.
Na segunda-feira, Dilma enviará ao Congresso uma mensagem propondo o Plebiscito com as perguntas x, y e z. O Congresso irá transformar a mensagem em decreto legislativo, discutir, talvez mudar, instituir as regras para a campanha de rádio e TV, aprovar e marcar a votação para agosto, a tempo de as mudanças serem promulgadas em outubro e passarem a valer nas eleições de 2014.

O ESTADO DO PARÁ NO RABO DA FILA EM ALUNOS MATRICULADOS

A descontinuidade dos projetos educacionais decorrentes das mudanças de gestão é terrível para a educação no Pará. O estado ocupa o "rabo da fila" em alunos matriculados. Um exemplo de que a educação não tem sido prioridade no governo Jatene. 

Segundo dados que constam no Anuário Brasileiro da Educação Básica 2013, o Pará ocupa o 21º lugar no ranking de Estados com alunos matriculados no Ensino Médio de escolas em tempo integral. Os números disponibilizados pelo Ministério da Educação apontam que, em 2011, 1.901 paraenses se matricularam em escolas que disponibilizam Ensino Médio em turnos contínuos. Em Pernambuco, primeiro lugar no ranking, foram 70.085 alunos matriculados nessa modalidade de ensino em 2011. Na Região Norte, Amazonas (6º lugar), Rondônia (16º lugar) e Tocantins (17º lugar) estão à frente do Pará. 
Fonte: Diário do Pará
Veja a matéria completa: http://www.diarioonline.com.br/noticia-248949-para-e-so-o-21-do-pais-em-alunos-matriculados.html


quarta-feira, 26 de junho de 2013

HINO NAS ESCOLAS: AGORA É LEI!


Foi sancionado pelo Governador o Projeto de Lei nº 115/2012, de minha autoria, que dispõe sobre a obrigatoriedade da execução dos Hinos Nacional e Estadual nas escolas públicas e particulares no âmbito do Estado do Pará quee foi protocolado no Plenário Newton Miranda da Alepa no dia 21 de agosto de 2012.

A ideia é tornar comum a prática da execução dos hinos nacional e estadual, uma vez que há um grande desconhecimento da letra e música de um importante símbolo nacional. Atualmente a prática desta atividade são executadas apenas em determinadas situações, a exemplo dos eventos esportivos.

O objetivo maior é fazer com que os estudantes aprendem a cantar os hinos, criando familiaridade com um símbolo da nossa República, além de servir como demonstração de amor à pátria.  


No passado o assunto era matéria ensinada em disciplina como “Educação Moral e Cívica”, onde eram ensinados, além do hino, outros símbolos nacionais, bem como outros assuntos ligados ao civismo. Com isso tínhamos uma população jovem mais ligada às questões políticas, de interesse nacional. 


COM A FORÇA DO POVO E OS VOTOS DA BANCADA DO PT A PEC 37 AGORA É COISA DO PASSADO


Ontem a Câmara dos Deputados rejeitou por ampla maioria de votos (430 x 9) a Proposta de Emenda à Constituição nº 37, a conhecida PEC 37, que iria suprimir do Ministérios Público a competência para realizar investigações, projeto de autoria do Deputado Lourival Mendes (PTdoB-MA). 

A Bancada de Deputados Federal do PT, formada pelos Deputados Beto Faro, Miriquinho Batista, Zé Geraldo e Claudio Puty votaram contra a PEC dialogando com a orientação do PT Nacional que já havia se manifestado desde o início dos debates sobre a PEC. 

No início deste ano, além de apresentar Moção na Alepa pela rejeição da PEC 37, tendo inclusive recebido manifestação de agradecimento do Procurador Chefe do Ministério Público Federal, Requeri que a Alepa se manifestasse sobre a PEC.


Para quem acompanhava os discursos das Sessão Ordinárias na Câmara dos Deputados, houve uma mudança de 70% na posição dos parlamentares em relação a este tema, mas 9 deputados, como foi o caso do Deputado Federal Sergio Guerra, Ex-Presidente do PSDB, mantiveram sua posição e votaram a favor da PEC. 

Mas a voz das ruas e o bom senso prevaleceram e a PEC 37 agora é coisa do passado. Mas a luta continua sempre!

terça-feira, 25 de junho de 2013

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DA ALEPA VAI INVESTIGAR MORTE DA SERVIDORA DA PMB


Considerando o fatídico óbito da senhora CLEONICE VIEIRA, Servidora Pública Municipal, Agente de Limpeza e Conservação da PMB, ocorrido no último dia 20 de junho quando da última manifestação do Movimento Belém Livre, por suposta inalação do gás expelido pelas bombas de efeito moral lançadas pela Polícia Militar do Estado do Pará.

Considerando a possível responsabilidade da Polícia Militar do Pará no referido evento, e, as prerrogativas regimentais da Comissão de Direitos Humanos constante no art. 31, §7º, III do regimento interno desta Assembleia Legislativa.

Diante destes fatos e considerações a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado do Pará resolve, a partir da manifestação de seus Deputados e Deputadas membros,
instaurar procedimentos investigatórios para apurar a morte da senhora CLEONICE VIEIRA, deliberando pelas seguintes ações:

1. Solicitar ao Pronto Socorro Municipal o prontuário de causa mortis;
2. Solicitar ao IML a cópia do laudo de necropsia;
3. Solicitar ao Conselho Regional de Medicina que se manifeste com parecer sobre o caso;
4. Solicitar ao Comando da Polícia Militar a relação de todos os militares que portavam equipamentos de dissuasão de distúrbios urbanos: balas de borracha, spray de pimenta, bombas de efeito moral dentre outros;

Após as referidas diligências, a Comissão de Direitos Humanos irá exarar relatório circunstanciado com as respectivas providências que o caso vier a requerer.

NOTA PÚBLICA

Assembleia Legislativa do Estado do Pará – ALEPA
COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E DEFESA DO CONSUMIDOR


“RETROCESSO” é como se pode classificar a aprovação, pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias/CDHM da Câmara do Projeto de Decreto Legislativo (PDC) nº 234/2011, do deputado João Campos (PSDB-GO), que suspende trechos da Resolução do CFP nº 1/99, que estabelece normas de atuação para profissionais de psicologia em relação a questões de orientação sexual com vistas a reverter a homossexualidade. 

É inconstitucional o parlamento legislar sobre exercício profissional. Importante observar que durante a tramitação do PL na CDHM, não foram levados em consideração argumentos contrários à aprovação da proposta provenientes de diversos parlamentares, que consideraram acertadamente que a comissão extrapolou as competências ao legislar e revogar o “poder de órgãos de classe”.

Outrossim, os debates dentro da CDHM também deixaram de observar as manifestações públicas da sociedade civil e de entidades que atuam na área, a exemplo do Conselho Federal de Psicologia (CFP), Conselho Nacional de Saúde (CNS), Conselho Nacional da Juventude (Conjuve), Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (CNCD/LGBT), e Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR).

A Resolução nº 1/99 do CFP foi elaborada em março de 1999, após exame de denúncias sobre a ocorrência de práticas de “tratamento da homossexualidade” por parte de profissionais da Psicologia e tendo em conta o consenso vigente na comunidade científica internacional, os princípios básicos da Constituição Federal e os compromissos mais elementares em favor dos direitos humanos. “A homossexualidade não constitui doença para carecer de tratamento, nem distúrbio, tampouco perversão. Nesse sentido, a Psicologia pode e deve contribuir com seu conhecimento para o esclarecimento sobre as questões da sexualidade, permitindo a superação de preconceitos e discriminações”

Vimos isso a aprovação do projeto pela CDHM como um retrocesso considerável, tendo em vista que a resolução aponta e vai na direção de um direito consolidado constitucionalmente, inclusive em nossa Constituição Estadual. 

Não nos surpreendeu tanto a decisão, considerando-se a linha um tanto quanto violadora de certos argumentos que tem sido utilizados. Sendo de fato, um retrocesso na garantia de direitos.


Deputado Carlos Bordalo
Presidente da CDHDC-ALEPA

Reunião com Governadores e Prefeitos: Dilma propõe pactos e plebiscito para reforma política.


Dilma propõe 5 pactos e plebiscito para Constituinte exclusiva fazer a reforma política


A Presidenta Dilma realizou reunião com governadores e prefeitos das capitais para avaliar os movimentos em todo país e definir ações conjuntas e objetivas na melhoria dos serviços públicos e no combate a corrupção no Brasil. 

As reivindicações que tomam conta do país pedem melhorias na saúde, educação, transporte e mobilidade urbana e um combate sistemático à corrupção e coube à Dilma anunciar pacote com cinco ações efetivas que vão ao encontro da voz das ruas. 

Antes do encontro, a presidente recebeu no Palácio do Planalto representantes do Movimento Passe Livre, que iniciou a onda de protestos pelo país com o objetivo de reduzir as tarifas de ônibus.


A presidente listou quais são os cinco pactos que ela propõe agora: o primeiro ponto é a estabilidade fiscal; uma reforma política com a proposição de um plebiscito para uma Constituinte com fim exclusivo de tratar desse assunto; recursos e ações exclusivas para o SUS; plano para o transporte público, com o anuncio de desoneração de PIS e Cofins para o diesel e para a energia que move veículos da rede de transporte; e ações para a educação, com destinação de 100% dos recursos do pré-sal para o setor.
"Estamos passando por um inequívoco processo de mudança, talvez a mais ampla que o país já vivenciou – afirmou a presidente, que reforçou que é preciso ouvir o que dizem as manifestações nas ruas."
Ela deu destaque, dentro do pacto de reforma política, à definição de regras mais severas para corrupção, inclusive prevendo a possibilidade de que seja considerada crime hediondo, quando for dolosa.

Ela destacou que o que está acontecendo no país é reflexo de um processo de inclusão social, e que “agora o povo nas ruas quer mais”.
"Quer uma representação política permeável, uma sociedade em que o cidadão, e o não o direito econômico, esteja em primeiro lugar. É bom que o povo esteja dizendo isso em alto e bom som. Cabe a cada um de nós ouvir."



  • primeiro pacto, de responsabilidade fiscal, Dilma destaca que o objetivo é garantir estabilidade econômica, com controle da inflação.


  • segundo pacto, de reforma política, Dilma afirmou que o segundo pacto gira em torno da “construção de ampla e profunda reforma política, que amplie a participação popular e amplie o horizonte da cidadania”

"Todos nós já sabemos que esse tema entrou e saiu várias vezes na pauta do país, temos a iniciativa de sair do impasse, portanto proponho  um plebiscito popular para criar uma constituinte específica para a reforma política."
  • terceiro pacto, a presidente colocou o SUS, e destacou que a classe médica não precisa se preocupar com a importação de médicos do exterior, já que será dado prioridade aos profissionais brasileiros antes de se oferecer postos de trabalho a profissionais de outros países.

"Não se trata de medida hostil a nossos médicos, mas uma ação emergencial em encontrar médicos em número suficiente e com disposição para as regiões mais remotas. Sempre oferecemos primeiro aos médicos brasileiros as vagas, só depois chamaremos os estrangeiros."

  • quarto pacto, Dilma anunciou a aguardada desoneração do PIS e da Confins para o óleo diesel, que movimenta esses veículos do transporte público.

"Decidi destinar mais R$ 50 bilhões em investimentos para obras de mobilidade urbana e investir em metrôs, tivemos a incorreta opção de não investir em metrô."

  • quinto pacto: pela educação pública, a presidente reforçou que nenhuma nação se desenvolve sem educação em tempo integral, creches, ensino profissionalizante, e universidades, e afirmou que condição essencial nesse pacto é a boa remuneração dos professores.




segunda-feira, 24 de junho de 2013

PACOTE DE AÇÕES: OBRAS, SERVIÇOS PARA CURRALINHO

Neste final de Semana, sábado estive representando a Assembleia Legislativa do Estado do Pará, acompanhado de representantes do Governo Federal, Estadual e Bancos de Fomentos, para presidir audiência pública no município de Curralinho, administrado pelo Prefeito Leo Arruda (PT) para anunciar um pacote de obras e ações que visam proporcionar melhoria do padrão socioeconômico local.

Este momento finaliza a primeira etapa de um projeto, que começou com uma Sessão Especial para discutir a melhoria do PIB do município, onde houve a oportunidade da prefeitura relatar de forma detalhada os problemas existentes no município de Curralinho e possibilitar aos órgãos apontar caminhos, horizontes a curto, médio e longo prazo mudar está realidade. 

Depois da Sessão Especial, houve duas reuniões para detalhar a participação no projeto e os investimentos previstos por cada órgão.   

Exatamente no Sábado, anunciamos as obras e ações para o município. Fico honrado e feliz por está contribuindo junto com o Deputado Márcio Miranda e demais deputados que atuam na região do Marajó para que o município de Curralinho possa crescer e desenvolver.

Participaram da Audiência Pública:

Pela PMC: o Prefeito Léo Arruda, Vice-Prefeito Jonas Reis, Secretário de obras (Zuzuca), de Meio ambiente( Marcos Baratinha), Assistência Social (Nelma Lopes), Pesca( Paulo Cardoso), Finanças(Lorena), Administração(Paulo Arruda), Tesoureiro (Eleizeu), Saúde (Japona), Educação (Rosieri), Agricultura (Ananias) e Cultura (Guida).
Os Vereadores: Antônio Amoroso (Maradona) Presidente da Câmara; Manoel Nogueira (Portuga), Jeniffer Natali, Josivaldo Batista, Jair Reis,  Monzaniel da Costa, Raimundo Martins, Manoel Lima e Valter Oeiras.

Entidades Representadas: Marcos Souza – ASSOCIAÇÃO DOS RECICLADOS; Edivaldo Brito – MOTO TAXISTAS, Antônio Raimundo  – ASSOCIAÇÃO DOS BATEDORES DE AÇAI, Orieser Melo – ASSOCIAÇÃO COMERCIAL, Joelkson Maia – SINTEPP, Ronaldo Oliveira – STTR, Rita Serra – Diretora da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Pará FETAGRI.

Órgãos Federais, Estaduais e Poderes Representados: Marinaldo Gemaque – Coord. Regional e Representante da Emater, Elielson Pereira – Superintendente do Incra, Airton Lisboa – representante do Secretário Davi Leal, Álvaro Luiz – Gerente de Mercado do Banco do Brasil, Manoel Merencio – Gerente Geral do  Banco da Amazônia, Gabriel Resque – Agrônomo e Gerente de Arranjos Produtivos Locais, Major Cintra PM Regional Marajó, José Ribamar – representante da Seidurb.
Deputado Bordalo – representando a Assembleia Legislativa do Estado do Pará.

PACOTE DE OBRAS E SERVIÇOS:
INCRA SR-01 Pará:
O superintendente do Incra SR 01- Pará, Elielson Silva anunciou o plano de investimentos para o município de Curralinho com a  construção de 2.120 habitações pelo Programa Minha casa , Minha Vida do Governo Federal, junto com as casas chegará infraestrutura de água encanada, saneamento básico, acesso a mobilidade e energia, somando um total de R$65.720.000,00 ( Sessenta e cinco milhões e 720 mil de investimentos). Além disso, serão realizados 5 cinco grandes mutirões de identificação e inclusão de famílias no CAD ÚNICO, emissão de documentos (RG,CPF e Certidão de Nascimento)para que possam ter acesso ao Bolsa Família e ao Bolsa Verde. Elielson enfatizou que o município de Curralinho faz parte de um Plano Nacional do Desenvolvimento do Arquipélago do Marajó.

O Governo do Estado, através de seu representante Airton Lisboa, anunciou que está prevista a instalação de um Posto do Banpará até 2015. Além disso, informou a destinação de recursos para construção do Terminal Fluvial, reforma das 3 Escolas do Estado no valor de R$ 200.000,00 mil para melhorar a qualidade de ensino, a reforma do Aeródromo (pista de voo), a continuidade da construção do  sistema de água no valor de R$ 800.000,00 , o valor de R$ 300.000,00 para reforma do Hospital Municipal e mais R$ 1.000,000,00 para aquisição de equipamentos, Asfaltamento de 3 (três) Km de vias pública, R$ 300.000,00 para reforma da Delegacia, R$ 140.000,00 para construção do laboratório de alevinos, a construção de mais 6 novas subestações de energia e 3 novas redes de energia para fortalecer a iluminação pública. Será também, disponibilizados técnicos da Emater para investir na capacitação e fomento da agricultura e da pesca e a instalação de uma torre de para melhorar o acesso à rede internet. O Major Cintra da Polícia Militar do Pará informou que a partir de julho o município de Curralinho terá 1 viatura e 2 motos para reforçar o atendimento as comunidades.  

Bancos de Fomento: Banco do Brasil e Banco da Amazônia informaram que será possível dialogar sobre a questão do fomento para batedores de açaí, moto-taxitas, Associação Comercial e trabalhadores e trabalhadoras rurais fortalecendo a economia local.

Por último, quero agradecer a Paróquia de São João Batista, ao Prefeito Leo Arruda e Vice-Prefeito Jonas, aos Secretários Municipais de Curralinho, Vereadores (as), entidades, aos representantes dos órgãos do governo Federal e Estadual, ao Banco da Amazônia e Banco do Brasil, ao Major Cintra e o efetivo da PM de Curralinho e Breves, ao Cel. Hilton e a equipe assessora da presidência da Assembleia Legislativa do Estado.

Destaque: MINHAS EMENDAS PARA CURRALINHO
1. Emenda para construção de uma Quadra Poliesportiva no valor de R$ 120.000,00;
2. Emenda para aquisição de 01 Veículo, 01 Moto, 01 Voadeira para Secretária de Agricultura no valor de R$ 70.000,00.


Terreno cedido pela Prefeitura para a construção da quadra poliesportiva, emenda do Dep. Bordalo


Comitiva: Rita Serra, Dep. Bordalo, José Martins – Seidurb, Manoel Merencio – Gerente Geral Banco da Amazônia, Alvaro Luiz – Gerente de Mercado Banco do Brasil, Elielson Pereira – Superintende do Incra, Gabriel Resque – Gerente de Arranjos Produtivos Locais Secti e Airton Lisboa – Representante do Secretário Davi Leal Seicom.


Representante do Banco do Brasil e Banco da Amazônia dialogando com setores do comércio, batedores de açaí e Moto Taxistas
Vice-Prefeito Jonas, Prefeito Leo Arruda, Dep. Bordalo, Ver. Maradona – Presidente da Câmara, Elielson Pereira – Incra, Alvaro Luiz – Banco do Brasil.
Helena Arruda, Mãe do Prefeito Léo Arruda e Tia do Deputado Bordalo


Maj. Cintra e Vereadora Jeniffer

FOTOS DO EVENTO



















domingo, 23 de junho de 2013

Gilberto Nascimento: Sobre a nova pesquisa Datafolha


publicado em 21 de junho de 2013 às 15:10
por Gilberto Nascimento, no Facebook
Há cerca de uma hora, na esquina de casa, vi uma mulher abordando outra para perguntar o que achava das manifestações e quebra-quebra no País e se era a favor do que vinha acontecendo.
Como o assunto me interessou, parei e fiquei um pouco próximo para ouvir do que se tratava. A mulher que perguntava tinha um crachá branco e azul, com o nome do Datafolha.

Minha surpresa foi quando a pesquisadora indagou em quem a mulher votava e se ela gostava da Dilma e do Lula. A entrevistada respondeu que votava e continuaria votando no PT.

Aí, a tal pesquisadora respondeu: “Fala baixo, você pode apanhar”. Cheguei perto e questionei: “como pesquisadora, a senhora não pode interferir nas respostas”. A suposta representante do Datafolha disse que só estava avisando “porque gente do PT estava apanhando ontem na Paulista”.

Respondi novamente: “a senhora quer amedrontar a entrevistada? Quer que ela mude de opinião?”. Peguei o nome da entrevistadora no crachá e disse que iria informar o instituto.

Pelo visto, é assim que se colhe a opinião do povo nas ruas. E preparem-se: nas próximas horas pode sair uma nova pesquisa dizendo que o povo não quer mais a Dilma e o PT no poder.
http://www.viomundo.com.br/denuncias/gilberto-nascimento-sobre-a-nova-pesquisa-datafolha.html

sábado, 22 de junho de 2013

BLOG TIJOLAÇO DO BRIZOLA NETO

Escolas padrão Fifa? Peçam ao DEM, PSDB, PPS…

22 de Jun de 2013 | 14:37
.









Publicou-se aqui, dias atrás, que está iminente a entrada em pauta do projeto de Lei do Governo que destina 100% dos recursos dos royalties do Pré-Sal para a Educação.
Q que não publiquei, porque teve pouco destaque na imprensa é que um projeto semelhante, que dava o mesmo destino à parcela dos royalties recebidos pelos governadores e prefeitos foi derrotado por  220 votos a 211.
A oposição a Dilma, DEM, PSDB e PPS à frente, votaram em massa contra. Claro que, para esse placar, muitos deputados da base governista também recusaram o projeto apoiado por Dilma Rousseff.
Então, por indicação da Dilma Bolada e com a ajuda do Pragmatismo Político, a gente traz aqui o link da página da Câmara para a lista dos que votaram contra o dinheiro ir para a educação, que é representado, naquela votação pelo “sim”, enquanto o “não” era a favor da proposta.
Assim, o amigo leitor, quando os ouvir louvando as manifestações e exigindo mais espaço – leia-se cargos e verbas – ao Governo Dilma possa chama-los de cínicos e de hipócritas como eles merecem.
Ou para que, esta semana, tentem se redimir do que fizeram, votando a proposta do Governo Dilma.
Que aliás, devia ir de novo à TV pedir apoio da população para aprovar a proposta de fazer o dinheiro ir para escolas e professores, em lugar de pagar shows de música pseudo-sertaneja.
Por: Fernando Brito