Incra investe R$ 71 milhões em Assistência Técnica Extrativista do Marajó e no Nordeste Paraense

A tão valorizada assistência técnica e extensão rural (ATER) vai chegar a famílias extrativistas do arquipélago do Marajó e região Nordeste do Pará. O Incra, por meio da sua Superintendência Regional no Pará, com sede em Belém, assinou nesta quarta-feira (25) os primeiros contratos e ordens de serviço para prestação de ATER à 16.743 famílias de Projetos Agroextrativistas (PAE) e Reservas Extrativistas (Resex) em situação de vulnerabilidade social. O valor dos contratos é de cerca de R$ 70 milhões.


As três empresas contratadas - Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater-PA), Instituto Peabiru e Ambiente Consultoria -, foram selecionadas através de Chamada Pública nacional, feita no início de 2013, para atender 26.597 famílias extrativistas nos estados do Pará, Acre e Amazonas. Pelo menos 63% das famílias desse total estão em noventa PAEs criados pelo Incra em dez municípios do Marajó e em três Resex do Nordeste paraense reconhecidas como beneficiárias do Plano Nacional de Reforma Agrária.

A Superintendência Regional do INCRA em Belém está sob a coordenação do meu companheiro Nazereno Santos.


Comentários