Os tucanos e o IDH paraense


Foto/Arquivo - Uma etnografia do atendimento obstétrico não oficial em Melgaço, Pará”, de Soraya Fleischer.
É notório e indiscutível que investimentos em educação, melhoria na qualidade de vida das pessoas e o crescimento da economia – fatores indispensáveis para melhorias no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) nunca foram -- e nunca serão -- prioridades para os governos tucanos. 
 
Isso demonstra porque nos 16 anos de desgoverno tucano no Pará, por exemplo, eles nunca se importaram em elaborar um plano de desenvolvimento para municípios pobres paraenses, a exemplo de Melgaço, no Marajó, apontado como o terceiro – veja só – e pior IDH do Brasil, segundo levantamento feito pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), divulgado nesta segunda-feira (29) no "Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil 2013”. 

Não bastasse o estado está no topo dos campeões do trabalho escravo – algo inconcebível no século XXI -- agora ter que figurar entre os municípios mais miseráveis do país. A região também ostenta a fama de ter uma das mais elevadas taxas de analfabetismo: metade dos moradores não sabe ler nem escrever, o que contribui ainda mais para esse subdesenvolvimento.

Só para citar um projeto que poderia mudar este cenário no âmbito regional, o Bolsa Trabalho, criado no governo petista anterior, e desativado pelo atual governo, poderia contribuir – e muito – para aumentar a taxa de educação de jovens e adultos em todo estado – o que ajudaria a alavancar o nosso IDH.

Já está mais que na hora deste atual governo pensar em planos que visem a melhoria da qualidade de vida das pessoas e deixar de lado projetos faraônicos de mais de 150 milhões, como um aquário, que não irá contribuir em nada para o desenvolvimento social em nosso estado. Chega de tanta miséria e descaso com os nossos irmãos paraenses.


Vale ressaltar que durante a gestão tucana no plano nacional -- que força um crescimento (IDH) a qualquer custo e prioriza a classe abastarda -- eram visíveis os bolsões de miséria no país. Ao contrário da gestão Lula/Dilma, onde o percentual de crescimento entre as regiões de todo Brasil foi paritário, em áreas onde nunca havia se observado crescimento. Isso demonstra que o avanço na qualidade do IDH foi visivelmente maior nos 10 anos de governo democrático popular. Um exemplo de que a vida das pessoas está mudando cada vez mais pra melhor. Agora cabe ao povo, em 2014, tomar sua decisão!


Comentários