A Ilha Virgem dos tucanos

Foi um momento sublime da cumplicidade entre os tucanos de São Paulo e o PiG.

Na capa de Folha, de sábado, se lia “Governo de SP (tucano) quer usar ganho indevido para baixar pedágio”.

Que maravilha!

Que governo zeloso!

Ou não foi pra isso que o PiG botou os ingênuos e espertos na rua?

Aí, o incauto leitor vai lá dentro ver do que se trata.

Há sete anos, vigora um “aditivo” nos contratos de dez empresas que exploram os pedágios de São Paulo e rendeu indevidos R$ 2 bilhões de reais.

Formidável!

Se, sete anos depois da “aditivação” o imaculado Governo tucano vencer na Justiça, vai converter a grana em redução dos pedágios.

É um Governo diligente, ágil, na defesa do bolso do cidadão!

Lembre-se, amigo navegante, que, por causa dos pedágios mais caros do Brasil, o Cerra contribuiu para que o Heródoto Barbeiro fosse mandado embora do programa “Roda Morta”, hoje, confortavelmente de volta ao leito tucano – clique aqui para ler sobre como Rui Falcão enfrentou as bicadas tucanas.

Controlar a TV Cultura, uma fundação com uma “tevê pública”, é o aperitivo do controle dos tucanos sobre São Paulo.

O mais importante é o controle do PiG.

Semana passada, a revista IstoÉ revelou o propinoduto dos tucanos.

E o PiG, nada.

O PiG tirou a Segurança Pública da agenda, para aliviar o Governo de São Paulo.

O PiG dá mais destaque à violência – em declínio – no Morro do Alemão do que na Zona Leste.

O Padim Pade Cerra legitimou uma invasão da Globo num dos bairros nobres de São Paulo – devidamente rebatizada de “Sonega Globo”, num histórico protesto inicial contra a fraude fiscal da Globo.

Cerra chamou a ponte que dá acesso à área grilada de “Seu Frias”- devidamente rebatizada de “Jornalista Vladimir Herzog”, em também história manifestação”.

O Amaury Ribeiro Jr – clique aqui para ler como a Folha protegeu a filha do Cerra e aqui para ver que o Viomundo e o Amaury desconfiam da isenção do subordinado do Gurgel que tenta incriminar o Amaury – o Amaury vendeu, numa edição, mais livros do que o Fernando Henrique em todas as edições de todos os livros que escreveu e ninguém leu.

O PiG não noticiou a publicação do “Privataria Tucana” que, com documentos recolhidos em fontes oficiais, e de fé pública, provam e comprovam que o clã Cerra se apropriou de parte considerável daquela que foi a maior Privataria da América Latina.

Quando precisou noticiar a associação empresarial da filha do Cerra com a irmã do Daniel Dantas, em Miami (em Miami !!!), uma colona Ilustrada da Folha dedicou mais linhas ao desmentido que à informação inicial.

Cerra, o clã e Fernando Henrique continuam, lampeiros e impunes, a desfilar no PiG e no gazebo da Big House.

Desde 1983, com a eleição de Franco Montoro, que foi Democrata Cristão e ministro de Jango – esse último item não tinha destaque em seu currículo – , os tucanos governam São Paulo.

Com breves e inesquecíveis intervalos – de Quércia e Fleury.

São trinta anos que se comparam ao exercício do Coronelismo dos Sarney no Maranhão e ACM na Bahia.

E os paulistas se acham melhores que todo mundo.

O Coronelismo inclui, além do controle do PiG, o controle da Assembleia Legislativa, do Tribunal de Contas, da Justiça, da Polícia e da Polícia Federal no Estado, e do Ministério Público.

E os paulistas tucanos se acham piemonteses …

Os petistas – com Padilha – nunca estiveram tão perto de tomar o Governo do Estado.

Espera-se que o Padilha não caia no conto do “republicanismo” da Dilma, que deu no que deu.

É preciso desmontar a máquina tucana de São Paulo.

E reincorporar São Paulo à Federação.

Porque São Paulo é a Ilha Virgem dos tucanos.

Fonte: blog do Miro, do sítio Conversa Afiada: http://migre.me/fzWTh

Comentários