Não adianta tapar o sol com a peneira: homicídios violentos, agências bancárias dinamitadas, furtos e sequestros relâmpagos infernizam nossas vidas! Quer maior estatística que a realidade?

Bom dia! Já estou participando da reunião entre governador e prefeitos do Capim, em Paragominas. E amanhã, estarei em Bragança, na reunião com prefeitos do Caeté. E faço um alerta: é preciso socorrer Viseu, que enfrenta a maior seca dos últimos anos!

Sobre a briga governo Jatene com os números do IBGE sobre a insegurança, não dá pra tapar o sol com a peneira: o Pará está inseguro, as políticas públicas desenvolvidas pelo governo do PT estão retraídas, reduzidas e quem sofre é a população.

Como eu disse em meu twitter, os números que realmente interessam não são os do IBGE, DIEESE ou IDESP e sim, as vítimas que têm suas vidas e patrimônios devassados. A"sensação de insegurança"criada pelo Gov. do PSDB acompanha o cotidiano do paraense. Dizer o contrário se torna acinte! Nem é  preciso de IBGE, IDESP, DIEESE para comprovar que a insegurança atormenta as famílias paraenses! Basta ter olhos para ver! Aliás, a diretora do Idesp não deve andar nas ruas para afirmar não saber se insegurança aumentou ou diminuiu. Vivem em outro planeta?

Reafirmo: não adianta o governo Jatene brigar com os números do IBGE sobre inseguranca e tentar, como sempre, jogar a culpa nos outros. A verdade está nas ruas: homicídios violentos, assaltos, roubos,sequestros relâmpagos, agências bancárias dinamitadas, tudo isso inferniza nosso cotidiano, o cotidiano da população! E esta mesma população exige providências do Governo Estadual para a insegurança existente. Jatene governa o Pará há  2 anos, está no poder há 2 anos e já não pega mais isso de ficar culpando o governo que saiu! 
Baixo investimento - Ao olhar hoje para a área de segurança pública do Estado do Pará, o que vemos é o sucateamento, com precário armamento e perda de recursos federais para o setor de inteligência. Junta-se a esses ingredientes, a retirada de autonomia financeira, com a  vinculação da Secretsaria de Segurana Pública ao Gabiente Governamental do Palácio dos Despachos

É constante o contigenciamento de repasses para o custeio das polícias, retirando sua capacidade operacional.São ingredientes de insegurança pública hoje no Pará: investimento baixo, custeio irrisório, baixa remuneração de policiais, contingente reduzido.

Enquanto o governo contigencia a segurança pública, é grande a gastança com a criação de 6 Secretarias e centenas de cargos em comissão, aumento absurdo de gastos numa hemorragia financeira. Ou seja: no governo Jatene está no fim da fila a prioridade de produzir segurança pública.

Com toda essa ausência de investimentos e valorização, as polícias continuam trabalhando e arriscando suas vidas todos os dias. Registro aqui, publicamente, meu louvor e agradecimento aos destemidos membros das polícias no Pará: a briosa Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, a valorosa Polícia Civil: muito obrigado. Vocês merecem muito mais! 

Governo corta repasse de saúde - E se na segurança é uma tragédia, na saúde a situação é gravíssima, pois o governo Jatene cortou os recursos de saúde aos municípios e que era repassadps todos os meses no governo do PT, da companheira Ana Júlia. Sem recursos para a saúde, como os prefeitos vão garantir atendimento básico à saúde?

Comentários

Anônimo disse…
Deputado,
ESSE É O PARÁ QUE AGENTE FAZ E JUNTOS VAMOS SOFRER MAIS. kkkkkkkkkkkk
Anônimo disse…
A comunidade anda meio parada e quase não se vê movimento para cobrar da Secretaria de Segurança Pública um trabalho mais efetivo.Luis Fernandes não vem cumprindo aquilo que o Jatene prometeu: um trabalho junto com a comunidade. Até já anunciou 30 UIPPs, mas a da Terra Firme nem sequer funciona como deveria funcionar. O que está havendo? Cadê as lideranças comunitárias?