quinta-feira, 30 de junho de 2011

Correspondentes do blog e Encontro do PT. A sexta-feira promete!

Esta sexta-feira 1º de julho, a Formação de correspondentes do meu blog, no Auditório do Sinpro, as 09:00. Convidados Chico Cavalcante, Vera Paoloni e Diógenes Brandão.

E à noite, a partir das 19 horas, no hotel Beira-Rio, começa o Encontro Estadual do PT com o debate "Brasil e suas perspectivas". No sábado 2, em pauta Reforma Política e Eleições 2012. Estão credenciados 600 delegados e delegadas de 84 municípios. É um grande e vigoroso encontro do nosso Partido!

Convido toda a militância petista a estar na abertura do encontro. Vamos debater e tirar encaminhamentos coletivos para a luta da classe trabalhadora aqui no Pará. Afinal, nossos direitos e conquistas estão ameaçados pela tentativa de intimidação tucana. E quando somos desafiados é que ficamos mais valentes, mais fortalecidos.
Eles que venham.



Como se vê, o final de semana promete. A começar pela sexta-feira, 1º de julho!

Homenageados na Assembleia Legislativa

Nesta manhã entreguei os títulos de Honra ao Mérito para o superintendente da Sudam Djalma Bezerra e para a produtora artística Meg Martins. As comendas foram entregues durante sessão solene no plenário da Assembleia Legislativa e marcou o fim do período legislativo neste semestre (apresento um balanço amanhã).

A homenagem foi concedida para personalidades que se destacam em diferentes atividades no Pará. Djalma Bezerra ganhou reconhecimento devido os trabalhos desempenhados em prol do desenvolvimento sustentável da Amazônia. Considero de grande valor a contribuição prestada pelo superintendente ao Estado do Pará. Seus conhecimentos e dedicação foram e são fundamentais para o desenvolvimento da Amazônia. Já minha amiga Meg Martins se destaca pelo trabalho em divulgar a cultura paraense e seus ritmos, principalmente o tecnomelody, pelo Brasil inteiro. Acompanhe algumas imagens da solenidade:


Nesta foto estou entre os homenageados do dia: Djalma Bezerra e Meg Martins

A produtora Meg Martins recebeu o título de Honra ao Mérito (Foto: Lucivaldo Sena)

Com o superintendente da Sudam Djalma Bezerra (Foto: Lucivaldo Sena)

Com o prefeito de Parauapebas Darci Lermen(PT), homenagem do deputado Milto Zimmer (PT)

CPI Tráfico Humano: pedido de cessão de delegado e investigadores foi negado pela Polícia Civil

Fiz um pronunciamento ontem, solicitando intermediação do presidente do Poder Legislativo, deputado Manoel Pioneiro (PSDB), junto Governador Simão Jatene, ao Secretário de Segurança Pública do Estado, Luiz Fernandes Rocha e ao Delegado Geral de Polícia Civil, Nilton Atayde, para reverter à decisão de não ceder um delegado e dois investigadores à Comissão Parlamentar de Inquérito.

O delegado Nilton Atayde justifica, em ofício dirigido ao vice-presidente da CPI, deputado Celso Sabino (PR), que devido às “sérias limitações de efetivo”, não seria possível efetuar a cessão dos policiais solicitados pela Comissão no dia 08/06. Continuamos no aguardo de uma decisão. Abaixo, matéria veiculada no Jornal O Liberal desta quinta-feira:



Meu desafio ao PSDB: assinem a CPI da Alepa!

Numa linguagem virulenta, no mesmo estilo da política praticada, o PSDB assina uma nota nos jornais hoje. Ataca o PT, o governo Ana Júlia, numa tentativa desesperada de desviar o foco das fraudes cometidas na Assembleia Legislativa do Pará.

Ao invés desse tiroteio em ziguezage, o PSDB poderia tomar uma atitude, uma pelo menos: assinar hoje a CPI da Alepa e aprofundar as investigações.

Assina? Esse é o desafio que lanço aqui e já o fiz via twitter:


Carlos Bordalo
 
»
Carlos Bordalo

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Grito da Terra: pelo fim da impunidade e da violência.E reforço à agricultura familiar

Já estão concentrados em frente à Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) os trabalhadores da agricultura familiar que participam do Grito da Terra. Hoje a Fetagri começa  a rodada de negociações com os governos estadual e federal.

Na pauta do Grito da Terra:
  •  reforma agrária,
  • fim da violência
  • fim da impunidade
  • mais investimentos para a Agricultura familiar

terça-feira, 28 de junho de 2011

PT protocola contra Mário Couto na Procuradoria Geral da república

Deputado Beto Faro, presidente do PT nacional, Rui Falcão e deputados Puty e Zé Geraldo (foto:Alyne Thacila).
Do site do PT nacional:
O PT protocolou na tarde desta terça-feira (28) uma representação na Procuradoria Geral da República (PGR) solicitando do Supremo Tribunal Federal a instauração de inquérito contra o senador Mário Couto Filho (PSDB-PA), ex-presidente da Assembleia Legislativa do Pará.

A representação, que pede a instauração de inquérito e posterior ação penal perante o STF, visa a apuração de aspectos criminais dos atos que teriam sido praticados pelo senador tucano durante a sua gestão na presidência do Legislativo estadual.

“(...) ainda no exercício da presidência da ALEPA, o representado provavelmente teria cometido vários atos que redundam em sérias ilegalidades, improbidades administrativas e crimes.

Irregularidades que permaneceram, com sua intervenção, mesmo após sua saída daquela ALEPA, já no exercício do cargo de senador, vez que lá ficaram servidores exercendo importantes funções, intimamente ligados ao representado”, diz um trecho da representação.

Por se tratar de um senador da República, a competência para a instauração de inquérito é do STF.O documento foi protocolado pelo presidente do PT, Rui Falcão, que estava acompanhado dos deputados federais pelo PT-PA: Zé Geraldo, Beto Faro e Cláudio Puty.

“O PT, como partido que mais defende a ética na política, pretende que o Ministério Público Federal investigue com profundidade as denúncias de supostos crimes cometidos no Estado do Pará pela quadrilha que ficou conhecida como‘fábrica de tapioca”, afirmou Rui Falcão.

Insegurança: vinte e um roubos a bancos. E junho ainda nem acabou


De janeiro a maio deste ano, as estatísticas dos bancos e da área de segurança pública mostram que houve 7 roubos a bancos no Pará. Esse número deu um salto enorme este mês e a contabilidade de janeiro a junho é de 21 roubos a bancos. Só o roubo do dinheiro já seria grave, mas a situação piora muito quando se vê bancários e trabalhadores sequestrados com seus familiares, bancos e caixas eletrônicos explodidos e a bandidagem fazendo a festa, diante da total insegurançapública.

Pelas estatísticas, o banco que mais sofreu a ação dos assaltantes foi o Banco do Brasil, com 14 assaltos. Em segundo, o BASA, com 3 assaltos. Em terceiro, o Santander, com 2 assaltados e em último, o Banpará, com 1 assalto.

As regiões Sul e Sudeste são as preferidas pelos assaltantes, mas nem shopping em Belém escapa.

Está faltando segurança pública no Pará e muito mais segurança bancária, mais efetividade para proteger a vida da população e dos trabalhadores.

E aí, governador?

Confira o descalabro, mês a mês e município a município:

1-      Dia 08/1/11 - São Felix do Xingú
Agência: Banco Da Amazonia

2-      2- Dia 19/1/11 - São Geraldo do Araguaia
Agência: Banco do Brasil

3-       Dia 31/1/11 - São Felix do Xingu

4-       Dia 02/2/11- Santana do Araguaia
Agência: Banco do Brasil

5-       Dia 06/2/11- Brejo Grande do Araguaia
Agência: Banco do estado do Pará

6-       Dia 07/2/11- Baião
Agência: Banco do Brasil

7-       Dia 10/2/11- Santo Antonio do Tauá
Agência: Banco do Brasil

8-       Dia 10/2/11- Rio Maria
Agência: Banco do Brasil

9-       Dia 10/3/11- Xinguara
Agência: Banco do Brasil
10- Dia 17/3/11- Barcarena (Vila dos cabanos)
Agência: Santander

11 - Dia 07/4/11- São Miguel do Guamá
Agência: Banco da Amazonia

12- Dia 16/4/11- Ananindeua
Agência: santander

13- Dia 20/4/11- Bom Jesus do Tocantins
Agência: Banco do Brasil

14- Dia 28/4/11- Belém(Ufra)
Agência: Banco do Brasil

15- Dia 06/06/11- Rurópolis
Agência: Banco da Amazonia

16- Dia 06/06/11- São Domingos do Araguaia
Agência: Banco do Brasil

17- Dia 07/06/11- Belém (Shopping Pátio Belem)
Agência: Banco do Brasil

18- Dia 15/06/11- Belém
Agência: Banco do Brasil(Supermercado Cidade)

19- Dia 19/06/11- Belém
Agência: Banco do Brasil(Prefeitura de Parauapebas)

20- Dia 26/06/11- Tucumã
Agência: Banco do Brasil

21- Dia 25/06/11- Conceição do Araguaia
Agência: Banco do Brasil.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Trabalhadores do Banpará não podem pagar pelos poderosos



Devidamente publicada nos sites das entidades sindicais - Sindicato, Afbepa e Fetec-CN - a nota oficial em defesa dos bancários do Banpará e pela apuração integral das fraudes na ALEPA.

 

Mais um assunto  para o governo Jatene responder ao povo paraense, inclusive do porquê da maioria da base aliada não assinar a CPI da Alepa. 

 

Leia a nota, na íntegra:

 

 

NOTA CONJUNTA DAS ENTIDADES EM 

 

DEFESA DOS BANCÁRIOS DO BANPARÁ



FRAUDES NA ALEPA

OS TRABALHADORES DO 
BANPARÁ NÃO PODEM PAGAR
PELOS PODEROSOS
       
           “A lei tem ouvidos pra te delatar
            Nas pedras do teu próprio lar
            E se definitivamente a sociedade
           só te tem desprezo e horror
          E mesmo nas galeras és nocivo,
         és um estorvo, és um tumor
        A lei fecha o livro, te pregam na cruz
       depois chamam os urubus.”
      (Chico Buarque, Hino do Duran)


1. O trabalho desenvolvido pelo Ministério Público na apuração das fraudes da Assembléia Legislativa do Pará (ALEPA) aponta que, no primeiro semestre de 2005, o Banco do Estado do Pará teria pago 2 milhões de reais “ ilegalmente” ou “em esquema”, no dizer dos jornais, hoje, em manchetes. Em nota oficial, a diretoria do banco afirma que, através de 47 cheques, o valor pago foi de R$ 1.377.879,08 e o próprio MP verificou que não foram contestados pela ALEPA, o pagamento desses cheques, ou seja, foram validados pela ALEPA, que naquele momento, tinha como presidente em exercício, o atual senador Mário Couto e os cheques continham a assinatura do então primeiro secretário Dep. Haroldo Martins. Confirma ainda o Banpará que não houve prejuízo, pois havia dinheiro nas contas. O Banco afastou, preventivamente, os trabalhadores bancários que pagaram esses cheques para abertura de processo administrativo.

2. As manchetes dos jornais “Diário do Pará” e “O Liberal” desta data, 23 de junho de 2011, só reforçam o posicionamento das entidades abaixo assinadas e da sociedade paraense que exigem a urgente necessidade de instalação da CPI para apurar as denúncias de desvios de recursos públicos e fraudes na Assembléia Legislativa do Pará. Queremos que a apuração seja integral e chegue, de fato, aos mandantes e ordenadores das licitações fraudadas, que se beneficiam e se locupletam às custas do dinheiro público, aos verdadeiros tubarões e não apenas aos peixes pequenos: os bancários e bancárias subordinados ao sistema de poder imposto, e aos trabalhadores da própria ALEPA, também subjugados a esse nefasto sistema de poder, que não pode ser, agora, simplesmente ignorado.

3. Antes que os trabalhadores bancários do Banpará sejam formalmente condenados e se consolide a indevida suspeita pública que paira sobre a categoria bancária do Banpará, o Sindicato dos Bancários (SEEB-PA), a Associação dos Funcionários (AFBEPA) e a Federação dos Bancários (FETEC/CN) fazem alguns questionamentos e solicitam imediata resposta da ALEPA, dos promotores do MP e da diretoria do Banpará:

a) Caberia ao bancário, a ponta mais frágil do sistema financeiro, muitas vezes sob a pressão do assédio moral de poderosos que, quando contrariados, chegam a representar contra o bancário pedindo até transferência de local de trabalho, se a regra é cumprida com rigor? Caberia a esse trabalhador decidir se pagava ou não o cheque, diante de ordens expressas para que não decida sozinho se deve ou não atender a esse ou aquele pedido “especial”?

b) A diretoria do Banpará, a nosso ver, não pode chamar para si uma responsabilidade que não lhe cabe, pois pela investigação que está sendo conduzida e mostrada à sociedade, a fraude foi cometida no interior da ALEPA e empresas, estando o Banpará fora desse processo de contratação e fraudes. Apenas pagou o que julgava ser lícito e não houve qualquer oposição dos clientes para isso.

4. Nossas indagações são preliminares e, em nosso entendimento, devem ser respondidas por quem de direito, e esse ente não é o trabalhador bancário, que vive sob a pressão das ordens superiores e sob estafante jornada, sobejamente conhecida de toda a sociedade. Com o agravante de que o risco do negócio é do dono do negócio e este, decididamente, não é o bancário.

5. Temos colocado, desde sempre, e reafirmamos nesse momento, nosso apoio irrestrito ao pedido de CPI da ALEPA, conforme aprovado no Encontro dos Bancários do Banpará e na Conferência dos Bancários do Pará, e estranhamos que, diante de tantas evidências da teia de corrupção, a maioria dos deputados não endosse o requerimento que pede a instalação da CPI, em nome da moralidade, da transparência, do emprego, da saúde, da segurança, da educação, da moral e dignidade que devem ser resgatadas para o bem de todo o povo paraense.

6. Mais do que nunca, a CPI da ALEPA precisa se tornar realidade para que bancários e trabalhadores, que são a ponta, as vítimas desse sistema de poder degradante em sua essência, não sejam “pregados na cruz” como bandidos, meliantes ou os responsáveis pela imensa corrupção que mancha a Assembléia Legislativa e rouba sonhos e direitos da sociedade paraense.

7. As entidades que abaixo assinam esta nota manifestam a mais profunda vontade de que todas as denúncias sejam rigorosamente apuradas e de que o trabalho desenvolvido pelo Ministério Público siga no sentido de desvelar as tramas desse escândalo que parece ser só a ponta do iceberg. Também exigimos que as verbas públicas retornem ao erário de modo a assegurar as políticas públicas em saúde, educação, saneamento, segurança, tão necessárias ao povo paraense. Quem tem que pagar, com seu patrimônio, são os que perpetraram as fraudes e se locupletaram delas. Da mesma forma, consideram estas entidades, que o papel da imprensa deve ser preservado de modo a sempre informar à sociedade, democraticamente, e com a seriedade necessária sobre os rumos das investigações das denúncias levantadas.

8. Nosso firme propósito é o de defender os trabalhadores bancários do Banpará e o próprio Banco, que é um patrimônio público e tem a missão de ser um importante instrumento de crédito e desenvolvimento da sociedade paraense. O Banpará, hoje, um dos poucos bancos estaduais sobreviventes, tem sua imagem arranhada, como se estivesse no meio da urdidura da corrupção perpetrada na ALEPA, cuja responsabilidade é única e exclusivamente dos mandatários, dos poderosos, de fato e de direito que estavam à frente daquela Casa de Leis.

9. Temos a firme convicção de que os trabalhadores bancários do Banpará são zelosos no cumprimento de seu dever e o cumprem, mesmo que sob todas as adversas condições de trabalho, pressão por metas abusivas, assédio moral, adoecimentos, insegurança e tantas outras mazelas. Portanto, deixá-los expostos como se fossem criminosos e não cumpridores de seus deveres, é tentar desviar o foco dos verdadeiros corruptos que urdiram as fraudes na ALEPA e que, agora, querem imputar aos bancários o crime que perpetraram contra o povo paraense.

PELO FIM DA CORRUPÇÃO QUE SANGRA O DINHEIRO PÚBLICO!
PELA IMEDIATA INSTALAÇÃO DA CPI DAS FRAUDES NA ALEPA!

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO PARÁ – SEEB/PA
ASSOCIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ – AFBEPA
FEDERAÇÃO CENTRO NORTE DOS BANCÁRIOS – FETEC/CN

A luta da CPI contra tráfico humano

Durante o Seminário sobre Tráfico de Pessoas realizado pela Comissão de Justiça e Paz do Regional Norte 2 da CNBB, que aconteceu em Belém, no Hangar Centro de Convenções, o Deputado João Salame apresentou breve relatório sobre a CPI.


Leia a matéria publicada no blog  amaurijrourilandia.blogspot.com

O deputado João Salame Neto (PPS), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito 
(CPI), criada na Assembléia Legislativa do Pará (Alepa), com o objetivo de investigar denúncias sobre tráfico de pessoas no Estado, apresentou, na sexta-feira, um breve relatório das atividades da comissão aos participantes do Seminário sobre Tráfico de Pessoas realizado pela Comissão de Justiça e Paz do Regional Norte 2 da CNBB, que termina neste domingo, no Hangar Centro de Convenções. O evento trouxe a Belém a atriz paraense Dira Paes e outros artistas, além de religiosos de várias partes do Pará.


"Tráfico de Pessoas é Crime!” Este é o principal alerta do seminário, cujo intuito é desenvolver um debate amplo e conscientizar a sociedade sobre este ato criminoso. Segundo os dados da Organização Internacional do Trabalho quase um milhão de pessoas são traficadas com a finalidade de exploração sexual. A atividade chega a movimentar US$ 32 bilhões por ano.

O Pará encontra-se em uma das rotas de tráfico humano. O caso mais recente noticiado pela mídia nacional, em fevereiro deste ano, foi quando a Polícia Civil de São Paulo invadiu duas pensões na capital paulista e encontrou mais de 100 travestis obrigados a servir uma rede de prostituição. Pelo menos 90% deles são paraenses.
A polícia chegou ao esquema a partir de um Boletim de Ocorrência feito, em Belém, para registrar o desaparecimento de um adolescente de 17 anos. Este caso motivou a instalação de uma CPI presidida por João Salame. Na semana passada, ele liderou uma visita a São Paulo para verificar in loco  as denúncias recebidas, inclusive acerca do alciamento de atletas promissores do Pará para equipes do interior paulista.
Diante de vários acontecimentos o seminário busca discutir e intensificar as ações de prevenção e enfrentamento, debater sobre a implementação do Plano Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas no Estado do Pará e propor que o assunto seja tema para a Campanha da Fraternidade de 2013.