Vigilantes serão demitidos em massa

Cerca de 2.000 mil vigilantes perderão seus empregos até o final deste ano. Esta é a proposta do Governo do Estado, ao substituir estes profissionais por sistemas eletrônicos de alarme e de câmeras monitoradas à distância. A decisão foi tomada pelo governador Simão Jatene em janeiro, e levantou questionamentos do Sindicato dos Vigilantes do Pará (Sindivipa). O próprio sindicato alerta para as demissões em massa, inclusive já foi feita denúncia à OAB-PA e ao Ministério Público do Estado, bem como dada entrada na Justiça do Estado através de ação civil pública.

O presidente do Sindivipa, Juber Lopes ressaltou, em entrevista ao jornal O Liberal desta quinta, 28, que a ausência de vigilantes contratados pelo Governo do Estado é quase de 100% nas escolas estaduais, no que diz respeito à Região Metropolitana de Belém. Somente quatro escolas possuem vigilância privada na RMB. Estas mudanças chegam num momento em que ocorre o agravamento da violência nas escolas. Acredito que a alteração por esses sistemas não exime a capacidade de antepor a entrada de pessoas estranhas, ou seja, não fazem segurança, só registram os fatos.

Por outro lado, o impacto familiar com a demissão desses vigilantes vai aumentar a estrutura familiar. São salários que deixam de circular na economia paraense, com mais desemprego no estado e sem soluções para estas pessoas. E novamente o governador fala na contenção de gastos para este ato, na contramão continuam as farras nas contratações de assessores especiais, o aluguel de imóvel com valor exorbitante, entre outras situações.

Comentários

Anônimo disse…
Vão votar no Jatene Lorota, vão. Taí no que deu. Centenas de desempregado.