Pará líder de trabalho escravo

Boa notícia para encerrar a semana é que os 204 casos de trabalho escravo registrados no País no ano passado representam uma redução de 15% em relação a 2009 e envolveram 4.163 trabalhadores (menos 32%), dos quais 2.914 foram libertados. Em 2009, houve 240 casos, com 6.231 trabalhadores envolvidos e 4.283 deles libertados. O número de menores escravizados também caiu, de 108 para 66 de um ano para o outro.

Os dados são do relatório Conflitos no Campo Brasil 2010, divulgado ontem (19) pela Comissão Pastoral da Terra (CPT). Segundo o documento, em 20 estados da federação houve registro de trabalho escravo, mas o que mais chama a atenção é que trabalhadores escravos foram localizados e libertados em todos os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O Sudeste é a única região do Brasil em que houve aumento no número de casos – de 21, em 2009, passou para 28 em 2010, um aumento de 33,3%.

o Pará registra o maior número de casos (73), seguido do Maranhão (18), de Mato Grosso (17), Goiás e do Tocantins (cada um com 15) e de Minas Gerais (13). O Pará também ocupa o primeiro lugar no número de trabalhadores escravizados (1.522 e 562 libertados), seguido de Minas Gerais (511, todos libertados).

Nossa CPI do Tráfico Humano vai entrar de cabeça nessa luta.

Comentários

Anônimo disse…
VÇ ANDOU VIVEU E PARTILHOU NOSSAS DORES, NINGUEM MELHOR QUE VÇ PARA SABER DO QUE NECESSITAMOS. EM CADA CURVA DESSE IMENSO ESTADO ESTAMOS A TE ESPERAR, SOMOS CRIANÇAS,JOVENS, MULHERES, NEGROS, POBRES TRABALHADORES QUE ACREDITAM EM DIAS MELHORES, ONDE SEUS FILHOS POSSAM VIVER E GOZAR DOS FRUTOS DE SEU TRABALHO. ESSA É NOSSA BANDEIRA DE LUTA.