FHC e PSDB rejeitam renovação

Na Folha de São Paulo do fim de semana, mais pérolas do ex-presidente FHC. Agora ele dizendo que o PSDBA precisa conquistar a classe média e esquecer os pobres.

Segundo o jornalista Luis Nassif, que já foi Ombudsman do jornal, "Só agora o grande condutor chega a essas conclusões. Mas como em toda formulação fernandiana, chega atrasado ao 'que fazer' e jamais consegue avançar no 'como fazer'". Diz isso porque "em um período de profundas mudanças, terá que analisar o que será o país daqui a alguns anos, qual a dinâmica do desenvolvimento, o desenho futuro das diversas classes sociais, prever as novas demandas e desenhar um programa para ser perfeitamente captado daqui a oito, dez, quinze anos. E nesse cenário papel central será a nova classe média que está sendo criada agora, a partir dos programas de transferência de renda, do aumento do salário mínimo e da melhoria do nível de atividade econômica e de desenvolvimento regional".

A conclusão do Nasssif é a seguinte: "Se o PSDB quiser se firmar como alternativa para os próximos anos, terá que providenciar um círculo novo de pensadores, de intérpretes do país, de analistas políticos menos superficiais". Antes disso, a prestigiada revista inglesa, The Economist, já alertava: "o partido político brasileiro precisa de uma nova geração de líderes e de um novo discurso para se manter relevante politicamente nos próximos anos e recuperar o espaço perdido para o PT na última década".

Será que só os tucanos não perceberam que ficaram para trás? E a grande promessa de renovação do Aécio Neves, líder da "refundação" do PSDB é ainda "choque de gestão" e dizer que eles é que inventaram o Bolsa-Família...

Comentários

Anônimo disse…
Deputado, o que o PT está esperando para entrar com o pedido de cassação da chapa Jatene/Heleninson, pois esles receberam doação de 02 hospitais de privados, mas que atendem pacientes do SUS? converse com sua amiga Perereca. ela sabe muita coisa. Ou será que não há interesse do PT voltar ao governo?
Anônimo disse…
Com o fim do DEM e do PPS, que vai perder metade da bancada pro PSD do Kassab, o PSDB vai ocupar o espaço do ex-PFL e o Kassab vai ser o partido de centro-direita que vai ocupar esse espaço da sociedade que era ocupado pelo PMDB (alas na centro-direita e na centro-esquerda). Assim o PT se fortalece a aumenta sua hegemonia. Se algum partido realmente tinha projeto de poder de décadas (como o Serjão dizia que o PSDB tinha), este partido é o PT e com projeto político de desenvolvimento.