Entidades irão participar de oficina e audiência pública da CPI do Tráfico Humano

Ontem, 31, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Pessoas confirmou a realização de oficina com os órgãos da segurança, além de entidades que já atuam na defesa dos direitos humanos e no combate ao tráfico de pessoas, além de agendar audiência pública para dia 13.04, que vai marcar o lançamento oficial dos trabalhos. Essa instalação pública da CPI pretende ser uma convocação à sociedade civil, e às autoridades públicas do Estado a contribui com o trabalho.

A oficina vai ocorrer na próxima quarta-feira, 06.04, a partir das 14 horas, no auditório João Batista, restrita aos deputados membros da CPI e aos assessores da Assembléia Legislativa nomeados para o trabalho. Serão convidados a expor o assunto o procurador Ubiratan Cazzeta, do MPF no Pará, atuante de uma pesquisa transnacional; e Marcel Akzeu, da ONG Só Direitos. O senador Marcelo Crivela (PRB-RJ), membro da Comissão de Direitos Humanos do Congresso Nacional, também será convidado.

A oficina tem por objetivo se debruçar sobre três enfoques: os aspectos conceituais do tráfico humano, dimensões que os conceitos incorporam ao assunto e o alcance possível do trabalho institucional da CPI. Vamos ouvir dirigentes de órgãos oficiais e entidades não governamentais que tratam do assunto, para termos maior segurança na realização das investigações que serão realizadas, após o lançamento público dos trabalhos da Comissão.

Na reunião ainda foi decidido o envio de solicitação de informações e de cópias de processos, a Secretaria de Segurança Pública, Polícia Federal, Tribunal de Justiça do Estado, Paratur, Itamaraty, Ministérios Públicos, Federal e Estadual, a respeito do tráfico humano e o turismo sexual no Pará.

Comentários

Anônimo disse…
grupos organizados BELÉM /SALINAS, PROMOVEM TURISMO SEXUAL, ENTRE JOVENS (MENINOS E MENINAS) DE MENOR CAFETÃO OMOX. FALOU DA POSSIBILIDADE DE GANHAR MUITO DINHEIRO NEGOCIANDO MINHA FILHA AO VIAJAR EM VAN. POR FAVOR INVESTIGUEM.
Anônimo disse…
Vamos lutar deputado.
Direitos é uma bandeira que chega a ser anticapitalista no Pará, porque aqui, todas as relações econômicas tem o dedo das ilegalidade e do desrespeito à floresta e ao ser-humano. Essa cadeia tem que ser desmontada, mas é forte e precisa de muita articulação.
Anônimo disse…
Legal, deputado, vamos pro pau contra essa bandidagem suja e desumana!
Quem faz isso nem ser humano é!
Anônimo disse…
Bordalo,
A parte quente vai começar agora. Se ti quiseres só holofotes, aproveita e pede pra sair. Agora se queres ir adiante, por princípio, por convicção, vamos juntos!
Isso vai ser uma verdadeira revolução, com direito a todas as etapas de uma.
Anônimo disse…
faça valer as instituições voltadas para a defesa dos direitos do cidadão, aplicando a lei.