Mais uma vitória para valorizar o que é nosso

Hoje venho parabenizar a aprovação do projeto que declara como Patrimônio Cultural e Artístico do Pará o tecnobrega e as aparelhagens de som, que se constitui de grande importância cultural e simbólica, à medida que estabelece reconhecimento oficial para um fenômeno que já ganhou status de cultura de massa, atravessando todas as camadas sociais, desde o pequeno bar localizado na periferia até as mais badaladas e glamourosas casas de shows do Pará e do Brasil.

Pesquisadores de todo o país visitam a capital paraense para ver de perto o fenômeno das aparelhagens, que de fato são verdadeiros monumentos, capazes de ganhar vida sob o comando de impressionantes DJs, no Príncipe Negro temos os irmãos Edilson e Edielson, no Super Pop os irmãos Elisson e Juninho, no Tupinambá o comando fica por conta do DJ Dinho, no Rubi é o DJ Gilmar, além de muitos outros. Sem falar nas aparelhagens rudimentares do passado, que tiveram o papel de iniciar o ciclo atual, de verdadeiros arranjos tecnológicos capazes de agitar multidões nos espaços em que as festas se realizam, com cada vez menos impacto acústico para as redondezas das festas.

Portanto, reconhecer o tecnobrega e as aparelhagens como patrimônio cultural e artístico do Pará é elevar a auto-estima do povo paraense, é defender o que é nosso. É emprestar receitas para tantos anônimos que, com denodo e sem nenhum apoio oficial, afirmam e fortalecem nossa identidade cultural.

Não poderia deixar de lembrar e agradecer um ícone da montagem deste ritmo, na beleza das suas letras, o meu amigo Tony Brasil. Parabéns a todos nós, gostaria de agradecer os 41 deputados que, à unanimidade, aprovaram esta lei.

No entanto, é preciso entender que no processo legislativo um projeto para ser aprovado passa por diferentes fases. Primeiro entra nas comissões técnicas, recebendo pareceres, até ficar pronto para a deliberação plenária. Na votação da matéria no plenário da Alepa o projeto é votado em 1º Turno, 2º Turno e Redação Final. No 1º Turno o projeto está no formato original, podendo receber modificações para o seu aperfeiçoamento. Foi o que aconteceu na votação do 1º Turno deste projeto, é natural que os deputados se manifestem favoráveis ou contrários à matéria, nem tanto pelo mérito, mas pela forma. O que pode ser revisto no 2º Turno e na Redação Final. A verdade é que todos os parlamentares foram favoráveis ao projeto.

Comentários

Paulo Ricardo disse…
Sou paraense do AÇAI, sou músico, sou professor, sou pai, sou filho, sou esposo, sou servidor público e fui seu fã... fui é uma consequência do pobre projeto de vossa autoria em colocar (e não elevar) a pobreza de letras (apesar da batida boa) que é o tecnomelody. Vossa senhoria perdeu a oportunidade de ser fiel ao seu diploma de Língua Portuguesa. Ficou do lado dos votos.
Anônimo disse…
12 de Março de 2011: 1 milhão de pessoas na Avenida Paulista, pela demissão de toda a classe política.



Pessoal : os países árabes , a custa de muito sacrifício, estão se livrando dos déspotas que há anos escravizam seus cidadãos. Lindo exemplo a ser seguido . Nós podemos fazer o mesmo, exigindo mudanças profundas em nosso país . Vamos nos encontrar dia 12 e exigir mudanças. Nós temos um histórico de conquistas pacíficas que nos honra.

Vamos fazer um país que seja realmente para todos e não para poucos. Só com a economia gerada pela extinção destes infinitos gabinetes e mordomias , quantas bocas poderíamos alimentar, quantos leitos de hospital a mais, quantas escolas construídas. Repasse com vontade este novo pleito da sociedade brasileira. Nós devemos isto a nós mesmos. Parabéns a quem teve esta brilhante iniciativa.

12 de Março de 2011 - Um milhão de pessoas na Avenida Paulista pela demissão de toda a classe política


Este e-mail vai circular hoje e será lido por centenas de milhares de pessoas. A guerra contra a chulisse, está a começar. Não subestimem o povo que começa a ter conhecimento do que nos têm andado a fazer, do porquê de chegar ao ponto de ter de cortar na comida dos filhos! Estamos de olhos bem abertos e dispostos a fazer -quase-tudo, para mudar o rumo deste abuso.

Todos os ''governantes'' [a saber, os que se governam...] do Brasil falam em cortes de despesas - mas não dizem quais - e aumentos de impostos a pagar.

Nenhum governante fala em:

1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, suportes burocráticos respectivos, carros, motoristas,14.o e 15.o salários etc.) dos poderes da República;

2. Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes, profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e outras libações, tudo à custa do pagode;
´´´´´
Anônimo disse…
Muito mal Bordalo, esse estilo musical é a materialização da pobreza em que a população de Belém está mergulhada graças à pessoas como você!