Caso Real Class revela imprudência, imperícia e negligência

Sexta-feira, o prestigiado blog Espaço Aberto, do jornalista Paulo Bemerguy, publicou a seguinte nota, sintetizando uma reportagem do jornal O Liberal:

"A matéria abaixo foi publicada na primeira página do caderno Polícia, de O LIBERAL, na última segunda-feira (07).

A matéria antecipa três conclusões do laudo de professores da UFPA sobre o desmoronamento do edifício Real Class:

1. O edifício desabou por erros de cálculo.

2. Não houve problemas com os materiais.

3. Não houve problemas com a fundação do prédio, que está intacta.

No final da tarde desta sexta-feira, a equipe de professores da UFPA divulgou os resultados do laudo, em coletiva à Imprensa na sede do Crea. O laudo chegou a três conclusões.

1. O edifício desabou por erros de cálculo.

2. Não houve problemas com os materiais.

3. Não houve problemas com a fundação do prédio."

Erros de cálculo apontam três responsabilidades: CREA, por só se preocupar com a cobrança da taxa de licenciamento, até porque foi um erro profissional; da SEDURB, por não fazer a fiscalização permanente de sua responsabilidade; da empresa, que permitiu um incompetente ou neófito realizasse essa parte essencial do trabalho, colocando em risco vidas e patrimônios.

Agora, cumpra-se a lei, dentro dos bons princípios do Direito Civil e Penal.

Comentários

Anônimo disse…
Falência! Este é o destino da Real Class. Justa paga por não ter cuidado com a vida humana mas só com seus vinténs. Pelo menos uma pra pagar o pato de tantas que fazem a mesma coisa!