Bolsa-Família para calar a oposição

Calando a boca dos críticos, que fingem não atender o "ajuste fiscal" estabelecido pelo governo, que nada muda o rumo da política econômica de crescimento com distribuição de renda, apenas protege os mais pobres da inflação e os gargalos que pdoeriam surgir de um boom de 7%/ano, na infra-estrutura, produção e mão de obra, a presidenta Dilma Rousseff anunciou hoje reajuste de 45% na parcela relativa a filhos, nos benefícios pagos pelo Programa Bolsa Família. Um aumento médio, para todos os atingidos, de 19,5%.

A ação faz parte do plano de erradicação da miséria, que segue de vento em popa.

"Vamos beneficiar quem tem mais filho", disse a presidente, revelando que tal investimento também é para garantir que as crianças e jovens saiam do cliclo vicioso da miséria e possam concluir seus estudos e ter uma oportunidade decente de emprego.

O investimento será de R$ 2,1 bilhões.

Atualmente, o Bolsa Família atende 12,9 milhões de famílias, que recebem de R$ 22 a R$ 200. O programa não é reajustado desde 2009. Ela explicou que o programa não foi reajustado em 2010 porque foi ano eleitoral.

Comentários

Anônimo disse…
E calou mesmo os direitosos e esquerdóides