Apurar tudo

Hoje, o jornalista Paulo Bemerguy, no blog Espaço Aberto, retoma a questão da suposta fraude de funcionários fantasmas na ALEPA, onde o deputado Edmílson Rodrigues (PSOL) defende uma CPI para apurar, mas a maioria da Casa apoia a proposta do presidente Manoel Pioneiro (PSDB), de abrir uma sindicância interna.

O jornalista faz o justo questionamento: "Afinal de contas, se algum bagrinho lá da augusta Casa apontar o nome de alguma Excelência como metido da cabeça aos pés nas estripulias que resultaram em desvios de R$ 2 milhões na folha de pagamento, como é que vai ser?". Ele fundamenta sua natural desconfiança, baseado no princípio de que "é regra elementar direito que numa sindicância o presidente não pode ter cargo hierarquicamente inferior aos daqueles que serão alvo da investigação", sob pena de tudo terminar em "pizza".

Porém, como ele mesmo reconhece, "os servidores têm o dever legal de registrar, de noticiar claramente esse fato no relatório da sindicância" e "caberá à presidência da Assembleia ou mesmo ao plenário, que é soberano, decidir se há fundamentos para abrir uma investigação sobre os próprios deputados".

Essa é a questão fundamental.

Ainda que não tenha questão fechada ainda, tendo a pensar que uma CPI, por si mesma, não é garantia da ampla investigação que o caso requer e que a sociedade exige, pois, ao que parece, há deputados que podem estar envolvidos nas irregularidades e a eles caberia travar os trabalhos do Comissão. De forma que ela só serviria mesmo para atrair os holofotes.

Por outro lado, há deputados, entre os quais me incluo, com interesse de apurar os fatos e encaminhar às autoridades competentes - que pode ser inclusive o plenário - para as providências cabíveis. E esses deputados vão defender, considerar, estudar e dar o encaminhamento necessário às investigações da comissão de sindicância, que poderá trabalhar sem a grande pressão que poderia fazê-la cometer injustiças ou sofrer pesadas pressões antes que pudesse concluir seu trabalho.

Nós da bancada do PT queremos uma investigação séria, que faça prevalecer os princípios republicanos e achamos que para isso acontecer, não se pode deixar contaminar pelos interesses eleitorais, embora legítimos.

Comentários

Anônimo disse…
Deixa de tergiversações. Afinal, o senhor deputado vai ou não assinar essa CPI? Ser ou não ser......
Anônimo disse…
Na lata da claque do Ed. Ele acha que todo mundo vai votar nele pra prefeito???
Anônimo disse…
Tá certo deputado. Parlamentares também trancam tudo, aliás como ia fazendo no caso Seffer.
Anônimo disse…
O Edmílson quer luz, quer ter mais fama do que voto.
Anônimo disse…
Não adianta anônimo da FARSA SOCIALISTA. Ninguém vai cair nessa conversinha. Em 2012 a esquerda vai de Valdir Ganzer e os sectários dos 1% de voto vão com Edmílson.
Anônimo disse…
Parabéns deputado por enfrentar a máfia legislativa.,
Pra dar resultado tem que ter as táticas corretas. Quem não tem compromisso com isso - a direita e o esquerdismo - que se lasquem!
Anônimo disse…
Valeu Bordalo! Esclareça seus eleitores e os petistas!
Anônimo disse…
Vai votar ou não?
Anônimo disse…
VALEU COMPANHEIRO!!!!!!!!!!!!!!!
Anônimo disse…
Bordalo, esta conversa é para boi dormir. O PT tem que se uniré assinar o requerimento para que a CPI seja aberta. Se por acaso, algum Deputado, seja de qualquer partido estiver envolvido, deve ser substituido. O que não se pode é deixar o tempo passar e nada acontecer. Isto não é estratégia, esta me cheirando mais a comprometimento ou rabo preso. E rabo bem grande. Peço que publiques este comentário
Anônimo disse…
Quem viu o PT. Sua direção não está em sintonia com o que ainda existe de BASE PARTIDÁRIA que está tão desolada com o que suas figuras públicas andam fazendo que devem ir de mala e cuia para a campanha do Edmilson, virtual e cotadissimo candidato a prefeito de Belém e com chances de chegar ao 2º turno.
O deputados do PT não vão assinar a CPI porque o ex-deputado Miriquinho, hoje Federal, está comprometido até os cabelos... da cabeça na liberação dos cheques com os valores já divulgados.
O resto é papo furado do nobre (quase, né?) deputado.

Marcus Valério de Andrade
m_arcus77@gmail.com