Aplausos ao nosso "iluminista dos trópicos"

Com reconhecimento e grande repercussão na imprensa nacional, como Folha e Estadão, o Pará perdeu, ontem, um de seus mais brilhantes filhos: nosso querido escritor e filósofo Benedito Nunes, que tinha 81 anos. Aclamado pela revista Brasileiros como o "Iluminista dos Trópicos" - reportagem que vale a pena ler - "Bené" estava internado há dez dias no Hospital Benefieciente Portuguesa.

Benedito Nunes foi fundador da Faculdade de Filosofia do Pará, ganhou o prêmio Jabuti (o mais importante da literatura nacional) em 2010, com o livro "A Clave do Poético", e ganhou o prêmio Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto de sua obra. Virou amigo pessoal de Clarice Lispector quando a escritora leu "O Mundo de Clarice Lispector" e o "Drama da Linguagem". O reconhecimento do nosso filósofo "da Amazônia" (e jamais "amazônico", por opção conceitual dele) ganhou o Trending Topics Brasil no twitter com a hashtag #BeneditoNunes, usada por admiradores de sua obra em todo o País.

Benedito fez Mestrado na Sorbonne, em Paris e, ultimamente, tinha viajado frequentemente a Paris e aos Estados Unidos, em particular a Austin, no Texas, para aulas, conferências e debates.

Quando questionado pelo Jornal da Poesia - "O senhor não se sente isolado em relação ao resto do País? Convites para lecionar em grandes capitais brasileiras, certamente, não lhe faltam" - respondeu: "Mas prefiro permanecer aqui".

"Bené" se reúne agora num grande sarau no céu com Eneida de Moraes, Rui Paranatinga Barata e outros grandes que já nos deixaram...

Meus sentimentos mais profundos à família de Benedito Nunes e minha homenagem a ele diante da nossa sociedade de luto.

Comentários

Alfonsina disse…
Linda sua homenagem, deputado. A melhor que eu li no Pará
Anônimo disse…
O sarau deve estar sendo do mais alto nivel.
Vida longa à memória deles na nossa juventude. Que o estado invista mais em cultura
Anônimo disse…
Bené tinha reconhecimento nacional e mundial. Merecida homenagem a esse grande paraense.