quarta-feira, 30 de junho de 2010

Estou com você, companheira!

Quero me juntar à opinião pública democrática nos elogios à governadora Ana Júlia sobre o caso Caíca. Mostrou seu elevado espírito público, sem confundí-lo com questões privadas, sua firmeza como mulher e mãe, ainda que a dor pessoal deva ser grande.

Essa é a governadora que o Pará merece!

Um pouco mais sobre o quadro político paraense

Na imagem, os números do Vox Populi, ontem, confirmando a pesquisa IBOPE, que revelou Dilma 5% à frente de José Serra e o crescimento da possibilidade de a eleição ser encerrada já no primeiro turno.

Contrastando com isso, a Agência Brasil (clique para ler toda a reportagem), hoje, informa que a crise está longe de terminar no ninho tucano (de cobras...e lagartos) nacional: " Democratas e o PSDB ainda não conseguiram chegar a um consenso sobre quem ocupará a candidatura de vice na chapa do tucano José Serra à Presidência da República. O assunto voltou a ser discutido entre os senadores e os deputados da executiva do partido, em reunião na casa do senador Heráclito Fortes (DEM-PI), no Lago Sul, bairro nobre de Brasília. Após mais de duas horas de reunião, o presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RS), reafirmou que o PSDB tem que rever sua decisão de indicar Álvaro Dias (PSDB-PR) para vice na chapa de Serra se quiser ter o apoio integral do partido".

Aqui no Pará, a situação de crise é igualzinha, como já disse nos posts abaixo: de aliado firme do PSDB, só o PPS, quase inexpressivo. Desgaste total com o DEM. Lá porque não querem lhes ceder a vice, mesmo sendo um aliado histórico de primeira hora. Aqui, a vaga competitiva ao Senado, com tucanos querendo as migalhas do segundo voto de Jáder, ainda que a candidatura peemdebista seja da base do presidente Lula e apoie Dilma Rousseff. E o problema do vice também, como se pode ler no blog da jornalista Rita Soares: "Faltam seis horas para começar oficialmente a convenção do PSDB e ,até este momento, o partido ainda não decidiu quem será o candidato a vice-governador na chapa de Simão Jatene. As conversas se estenderam até quase 4 da manhã, segundo me informou um deputado tucano, mas ainda não foi fechado o nome".

No Brasil, o PSC que ia de Serra, optou em cima do lance por Dilma. No Pará, o PSC que ia de Jatene, optou em cima do lance pela reeleição da governadora Ana Júlia.

O que se tem de diferente do plano nacional e do estadual, na "pena" tucana, é a situação do PTB. Enquanto vereadores, deputados estaduais, federais e outras lideranças trabalhistas vão de Dilma, o ex-deputado cassado por acusar sem provas a existência de um "mensalão", Bob Jefferson, que presidente o PTB, declarou apoio a Serra.

No Pará, o prefeito Duciomar já declarou que apoia a reeleição da governadora Ana Júlia e o PTB, seu partido, já aprovou a aliança. Aliás, muito me admira hoje setores da imprensa quetsionarem o acordo envolvendo estado e capital quanto ao repasse dos ICMS ilegalmente usurpados de Belém quando o petista Edmílson era prefeito e o PSDB governava o Pará, pois fez justiça ao município e encerrou a disputa judicial que poderia prejudicar mais à frente os cofres públicos estaduais.

Sinceramente, é muita torcida contra o PT!

Nosso mandato em ação por todo o estado

(Foto em Bujaru)

Esse foi um fim de semana de muitta atividade. Em Bujarú, entreguei, ao lado do deputado Beto Faro, Secretária de Emprego e Renda, Ivanise Gasparim, e lideranças locais, da entrega de patrulhas mecanizadas, ambulância e veículo 0km para o Conselho Tutelar local. Contiuamos cumprindo com o nosso dever.

(Na foto, durante a passagem de Bordalo pelos quatro municípios)

Também estive com vereadores, lideranças comunitárias e representantes de sindicatos dos trabalhadores rurais dos municípios de Magalhães Barata, Concórdia do Pará, São Domingos do Capim e Viseu. Conversa proveitosa que vai alavancar ações para cada cidade desta.

Realizei ainda mais entregas de motocicletas para nossos trabalhadores e trabalhadoras dos sindicatos rurais de Tailândia e Mojú. Abaixo as fotos com meus companheiros dos STTR e o amigo Guto da Fetagri:

terça-feira, 29 de junho de 2010

Convenção estadual do PT em clima de vitória

Nesta quarta-feira, 30 de junho, acontece a Convenção Estadual do Partido dos Trabalhadores, no Hangar, a partir das 17 horas. Será um momento muito especial para homologar a candidatura da governadora Ana Júlia à reeleição, que já tem prontas as diretrizes programáticas para o segundo governo para aprofundar as mudanças, no que se destaca o anúncio do "PAC do Pará", o maior pacote de investimentos públicos e privados - mas acordados entre os entes - desde a abertura. Além disso, nós petistas homologaremos a ampla aliança em torno da reeleição com nossos aliados históricos como PC do B e PSB, mais PTB, PDT, PR (do candidato a vice, Anivaldo Vale), PP, PV e PHS. Uma chapa fortíssima, que revela o poder de agregação de um governo que dá certo (senão isso seria impossível), num momento de crescimento da economia paraense e da candidatura nacional de Dilma Rousseff.

A governadora está no seu melhor momento, até porque a candidatura de Domingos Juvenil (PMDB) é da base do presidente Lula e da campanha da ex-ministra Dilma, traz apoios importantes do PSDB através da adesão do ex-govrnador Almir Gabriel e não tem condições políticas de vir a apoiar Simão Jatene no segundo turno, até porque o deputado Jáder Barbalho foi um dos principais articuladores em seu partido da indicação de Michel Temer para vice na chapa nacional liderada pelo PT.

Um ninho de cobras (e lagartos)

Já no ninho tucano, seguindo script nacional, onde prevalece desde o primeiro dia a agenda negativa, o clima não pode ser pior.

Primeiro, a ruptura com o DEM, do casal Pires Franco, aliados históricos, com o PSDB insistindo em tratá-los como primos pobres, sem querer ceder a vaga ao Senado para a ex-vice governadora, que aparece bem nas pesquisas e foi cotada até para ser dupla de chapa nacional com José Serra. Depois, a inexpressiva canidatura do empresário Flexa Ribeiro, com quem Jatene não pode brigar se não perde importantes apoios para campanha. Flexa e o deputado Zenaldo Coutinho travam uma guerra aberta pela imprensa em torno da "valorizada" presidência do PSDB local. Agora, sabe-se que a resolução da polêmica do vice de Serra vai determinar uma espécie de intervenção do diretório nacional tucano no Pará, para abrigar os anseios do deputado Vic. Sem contar as adesões significativas, via Almir Gabriel, de tucanos ao barco de Domingos Juvenil.

Com isso, a candidatura Jatene vai fazendo água, perdendo viabilidade e credibilidade, o que gera a debandada de prefeitos e parlamentares (os poucos que restam) e um isolamento político que dá dó, assim como dão as declarações do candidato tucano e seu parceiro para o Senado de que a "principal aliança é com o eleitor".

Para jogar a pitada final de fracasso à vista nesse caldeirão, a Convenção Estadual do PPS, único aliado confirmado até agora do PSDB, aprovou a indicação de Helenilson Pontes para o segundo nome na chapa ao Senado, o que prejudica a intenção dos setores tucanos liderados por Flexa Ribeiro de conquistar o segundo voto de Jáder.

Enquanto eles brigam pela imprensa e se desentendem entre si, com pouco tempo para recuperação, poucos aliados e estrutura, o PT e seus aliados de primeiro e segundo turno podem construir com paz e unidade suas estratégias e táticas eleitorais.

Mais informes do nosso desenvolvimento

Na rodada de informes sobre nosso desenvolvimento estadual, tenho a honra de anunciar que esteve aqui neste fim de semana o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, marcando a cerimônia de assinatura de três ordens de serviço que determinam o asfaltamento da rodovia Transamazônica (BR 230) e, ainda, a entrega da licença ambiental concedida pelo Ibama que permite a realização das obras. Sonho antigo da população "da estrada", de quase 4 décadas que sai do papel pela iniciativa do presidente Lula, assim como Belo Monte sob nova concepção.

Também anuncio o enorme sucesso da 4ª edição da Frutal Amazônia e Flor Pará (Frutal), encerrada neste domingo (27), após quatro dias de exposição da produção paraense, negócios, debates e troca de conhecimentos sobre a floricultura, a fruticultura e a agroindústria, tendo movimentados R$ 30 milhões na feira e na rodada de negócios, sendo cerca de R$ 1 milhão somente na agricultura familiar. Uma agroindústria de beneficiamento de castanha de caju foi uma das atrações. A estrutura que demonstra a seleção, corte e processamento das castanhas é parte de um projeto da Emater em São João de Pirabas, no nordeste do estado,

A oposição nacional sem rumo

Para você, amigo e amiga leitora, poder entender e debater melhor a crise vivida pela oposição neste momento terrivelmente desfavorável a ela na pré-campanha eleitoral, pincei do blog do jornalista Luis Nassif duas postagens que considero esclarecedoras. Abaixo, vai uma introdução de cada uma. Clique no título para ler as íntegras:

Serra uniu o DEM contra ele

Não é confortável a situação do candidato do PSDB a presidente, José Serra, depois que ele optou por uma chapa "puro sangue" e lançou o senador Álvaro Dias (PR) como seu candidato a vice. Se o PSDB não recuar e ceder a vice-presidência ao DEM, dificilmente conseguirá desarmar o mal-estar criado por essa decisão sem graves danos à candidatura tucana.

Uma alternativa estudada pelo DEM é a de não apoiar qualquer candidato a presidente, na convenção nacional de quarta-feira. Nesse caso, o tempo de propaganda eleitoral gratuita que a lei reserva ao partido seria dividido proporcionalmente entre os demais candidatos: a coligação da petista Dilma Rousseff ficaria com 65,11% do tempo do DEM na televisão e Serra, com 29,48%. A outra alternativa é lançar candidato próprio e, nos quase três minutos a que tem direito - tempo igual ao do PSDB -, fazer proselitismo partidário. "Assim nos fixamos como o partido da direita moderna", disse o ex-deputado Saulo Queiroz. Nas duas hipóteses, o tempo de propaganda gratuita de Serra cairia muito: com o apoio do DEM, disporia de 6m46s, enquanto Dilma teria 8 minutos. Com uma candidatura do DEM, cairia para 4m38s. Se não apoiar nenhum candidato, Dilma ganha mais, Serra perde muito. "O PSDB fica quase como uma candidatura nanica", disse um deputado que não quis se identificar.

A debandada da CBN

Em meados do ano passado, alertava aqui que José Serra não teria envergadura para encarar essa campanha. Foram muitos posts, dois particularmente duros com Serra, mas mostrando a realidade. Nesse período todo, era apresentado pelos colegas da velha mídia como calculista, estrategista, gestor etc. Tudo isso antes da bola rolar em campo.

Antes do jogo começar, ainda no aquecimento o esquadrão desmorona. O que causa surpresa é o auto-engano em que se meteu esse pessoal. Serra é fruto exclusivo do apoio que recebeu da velha mídia. Velhas raposas do DEM, que ousaram mostrar - meses atrás - que Serra era uma fria, foram isoladas no partido. Colegas tinham até receio de cumprimentá-los com medo de incorrer na ira de Serra. Era claro para quem tivesse um mínimo de discernimento, que Aécio era a única chance do PSDB. Os mesmos analistas que ajudaram a sepultar sua candidatura se surpreendem em constatar - tardiamente - que colocaram um candidato não competitivo em campo.

Uma "tuitada", um conjunto de valores e uma crise sem fim

"O DEM é uma merda!". Essa foi a tuitada de Roberto Jefferson, ex-deputado, cassado por denunciar sem provas o factóide golpistas chamado "mensalão", em 2005. O motivo foi a reação legítima do DEM de questionar uma chapa puro-sangue do PSDB à presidência da República, como se os tucanos tivessem força política e social nas atuais circunstâncias, onde Serra aparece 5% atrás de Dilma Rousseff nas pesquisas.

Mas, Roberto Jéferson faz bem o jogo de quem é de sua laia.

Álvaro Dias só é um parlamentar desatento quanto aos seus deveres: em 2006 candidato a senador esqueceu-se de declarar R$ 6 milhões de seu patrimônio à Justiça eleitoral, conforme mostrou reportagem de Época, edição de 7 de agosto do ano passado. De acordo com o publicado na revista, na campanha eleitoral daquele ano Dias informou que tinha um patrimônio de R$ 1,9 milhão composto por 15 imóveis entre apartamentos, fazendas e lotes em Brasília e no Paraná.

O patrimônio era pelo menos quatro vezes maior. Sem contar que ele deixou de declarar contas bancárias e aplicações em fundos de investimento resultantes da venda por R$ 5,3 milhões de uma fazenda que disse ter recebido de presente de seu pai, de 36 hectares, em Maringá, no Norte do Paraná.

Para além disso, a crise na oposição é barra pesadíssima.

Altamiro Borges: Pela democracia e pelo futebol

Por Altamiro Borges, em seu blog

A arrogância imperial da TV Globo, que se considera acima das leis e de Deus, conseguiu operar um milagre num país em que todos se acham técnicos de futebol. Antes dela satanizar Dunga, a torcida brasileira estava, no mínimo, dividida entre o amor e o ódio ao comandante da seleção. Mas após os seus ataques histéricos, enquetes indicam que mais de 70% dos torcedores passaram a defender o técnico – e menos de 5% ficaram ao lado dos prepotentes da Vênus prateada.

Na esteira deste episódio, um movimento espontâneo na internet ganhou milhares de adeptos ao propor o “diasemglobo”, defendendo o boicote à emissora na transmissão do jogo entre Brasil e Portugal, nesta sexta-feira (25). Além dos baixos índices de audiência no Ibope, a TV Globo está amargando péssimas notícias na Copa. Primeiro foi o movimento “Cala boca Galvão”, contra as abobrinhas ditas pelo seu principal âncora esportivo. Agora, é o “diasemglobo”. Haja coração!

Um bate-boca educativo

Talvez motivada por seu histérico oposicionismo ao governo Lula, a emissora parece torcer pela derrota da seleção brasileira. Talvez ache que o hexa beneficiaria a candidata Dilma Rousseff – o que é algo questionável. Em 2002, o Brasil foi penta-campeão e nem por isso FHC elegeu o seu sucessor, José Serra. Já em 2006, em plena crise do chamado “mensalão”, o Brasil apanhou na Copa e nem por isso Lula deixou de ser reeleito. O povo sabe distinguir entre futebol e política!

Com base nesta visão eleitoreira, a TV Globo elegeu Dunga como seu alvo principal, seu saco de pancadas. Mas só que o técnico, além de retranqueiro, mostrou-se turrão e decidiu comprar briga com a poderosa emissora. Poucas celebridades no país, seja no esporte, na política ou em outras áreas, têm esta coragem. De imediato, a atitude lhe valeu a simpatia dos torcedores. E o apoio cresceu ainda mais quando se soube dos bastidores do bate-boca entre Dunga e TV Globo.

Mais um tiro no pé

Em matéria publicada no Portal Terra, o jornalista Bob Fernandes revelou as verdadeiras causas da briga. Segundo seu relato, Dunga não aceitou dar privilégios à TV Globo nas entrevistas com os jogadores. Esta mutreta teria sido negociada diretamente com Ricardo Teixeira, presidente da CBF, só que o técnico decidiu vetar. O bate-boca diante das câmeras decorreu desta interferência indevida, com o Dunga soltando os rojões contra a emissora. Diante desta decisão altiva, a TV Globo resolveu partir para baixaria, inclusive com um editorial grosseiro no Fantástico.

Na prática, a poderosa emissora vestiu a carapuça de arrogante e deu um tiro no pé. No twitter, milhares de internautas passaram a defender o boicote à transmissão do jogo Brasil X Portugal. Somado ao movimento do “Cala boca Galvão”, que inclusive virou faixa nos estádios da África do Sul e reportagens em vários veículos internacionais, o protesto do “diasemglobo” representa uma nova surra da prepotente emissora. Eu, que já não gosto das babaquices do Galvão Bueno, nem vou passar perto deste canal na sexta-feira, dia 25. Fará bem ao futebol e à democracia

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Dilma será entrevistada hoje no Roda Viva, da TV Cultura

Mostrando que é mentirosa a acusação da grande imprensa, Folha de São Paulo à frente, de que não participa de debates (isso porque desmarcou "sabatina com os editores" da UOL por ter uma agenda internacional, pode?), nossa candidata Dilma Rousseff será entrevistada hoje pelo Roda Viva, da TV Cultura de São Paulo. Os internautas podem enviar perguntas e acompanhar pela internet a gravação do programa que será exibido às 22h .

Os entrevistadores serão os jornalistas Merval Pereira (colunista do jornal O Globo e comentarista da rádio CBN e do canal Globo News), Luiz Fernando Rila (editor-executivo e coordenador da cobertura eleitoral do Grupo Estado), Sérgio Dávila (editor-executivo do jornal Folha de S. Paulo) e Vera Brandimarte (diretora de redação do jornal Valor Econômico).

Dia de luta pela agricultura familiar

Amanhã também, a partir das 10 horas, com concentração em São Brás, a Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar, presidida pelo meu companheiro Guto, organiza em Belém o Grito da Terra, com a plataforma dos trabalhadores rurais paraenses. Essencialmente, com todo apoio do meu mandato, reivindicam mais crédito, mais terras, regularização fundiária, educação no campo, assistência técnica e paz para produzir.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Fica cada dia mais clara vitória do PT e aliados

O assunto do dia é, claro, a pesquisa Ibope da CNI, divulgada ontem. Nem o Jornal Nacional pôde mais omitir o crescimento de Dilma Rousseff (PT), como fez com as pesquisas do Sensus e Vox Populi. Ela bate os 40% das intenções de voto, contra 35% de José Serra (PSDB), inquestionavlemente na liderança. Marina Silva (PV) ficou com 9% e quando a campanha começar na TV e no Rádio, a polarização tende a espremer ainda mais o coeficiente da ambientalista, pois os tucanos e petistas reticentes migrarão para o voto útil e do jeito que as coisas vão, fica cada vez mais próxima a vitória ainda no primeiro turno, até porque Serra tem uma coligação pequena (e o PP rejeitou também hoje coligar), em crise, que sequer conseguiu indicar-lhe um vice e terá desvantagem no tempo do horário político gratuito.

Serra mesmo ilegal e exaustivamente exposto na TV, nos programas do PSDB, DEM e PPS, não conseguiu convencer ninguém e seguiu sua tendência de queda. Seus factóides e propostas ditas ao gosto do que o eleitorado quereria ouvir" também fracassaram.Do jeito Votos brancos e nulos somam 12% e 8% dos entrevistados não responderam. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Dilma também dá show na simulação de 2º turno: A petista tem 45%, contra 38% de Serra. Brancos e nulos somam 8%, enquanto 9% não sabem ou não responderam.

No Pará, isso cai como uma bigorna de 1 tonelada nos planos de Simão Jatene e seu único aliado, o PPS de Arnaldo Jordy.

Nem FHC põe fé em Serra

Poços de dúvidas - Fernando Henrique Cardoso confidenciou a interlocutor de sua mais absoluta confiança recentemente que tem sérias dúvidas sobre a possibilidade de José Serra (PSDB-SP) vencer a eleição presidencial. "E olha que estou tentando ajudar", disse o ex-presidente, atualmente em tour pelo exterior -com retorno previsto para o dia 2.<>p>

Este é FHC, em declaração ontem publicada na coluna de Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Tudo leva a crer na aliança com o PTB

Como eu havia adiantado aqui, as conversas com o PTB, partido do prefeito Duciomar Costa e do deputado Joaquim Passarinho, vão muito bem, especialmente o foram no dia de hoje, e tudo indica que estaremos juntos - PT e PTB - no primeiro turno da eleição, na aliança em torno da reeleição da governadora Ana Júlia.

O PTB se somaria assim ao bloco de partidos fortes, com prefeituras, vereadores, parlamentares estaduais e federais e influência política em lideranças decisivas do interior do estado, como o PR de Anivaldo Vale, já fechado como vice, e PDT. Sem contar o mais importante: o comando da Prefeitura de Belém, com obras e serviços que vão ser determinantes para conquistar o voto na região metropolitana, isolando ainda mais a candidatura do ex-governador Simão Jatene.

Agora essa decisão só soaria estranha para quem o tempo todo torceu contra a governadora, pois o PTB é da base do governo do presidente Lula e o prefeito Duciomar apoiador de primeira hora da ex-ministra Dilma Rousseff. Seria apenas uma questão de coerência, que complica sobremaneira as chances do PSDB, partido que no Pará está à beira da inviabilidade eleitoral.

A conversa "afiada" de Jáder e Almir

Esta manhã, como todos sabem, o deputado federal Jader Barbalho e o presidente da Assembleia Legislativa, Domingos Juvenil, foram ao apartamento do ex-governador Almir Gabriel, no centro de Belém. Além da troca de experiências entre duas lideranças históricas da política recente do Estado, a procura também se dá pela força política do tucano, pessoa pública, ativa na política e participante do jogo sucessório do quadro político atual.

Tenho uma visão saudável desse encontro, pois pode proporcionar avanços, e ainda mais: pode fortalecer e acabar, de uma vez por todas, com as desavenças que predominam entre nossas lideranças políticas.

Dependendo do resultado da conversa entre o trio, um novo significado pode surgir na disputa eleitoral. Por um lado, ameaçar ainda mais a candidatura o ex-governador Simão Jatene, sem interferir na da governadora Ana Júlia. Por outro deve ser fundamental para o 2º turno das eleições, agregando um movimento cívico contra a volta do atraso, em busca da discussão do futuro desenvolvido e justo socialmente para nosso estado.

Aproveito também para anunciar que, em breve, o ex-governador Almir Gabriel deve realizar palestra destinada aos secretários e técnicos do atual Governo do Estado. O pedido foi formalizado pelo chefe da Casa Civil, Everaldo Martins, visando socializar com os protagonistas da atual gestão, sem preconceitos ideológicos, elementos da experiência administrativa e política que, sem dúvida, Gabriel dispõe em tantos anos de vida pública.

13.013.131 boas notícias no Brasil de Lula

Hoje, vamos dar mais um giro de notícias sobre o Brasil governado pelo presidente Lula. A primeira é que o Brasil gerou 298.041 empregos com carteira assinada em maio. Foi o melhor resultado para o mês de maio e o quarto melhor desempenho mensal do mercado de trabalho em toda a história do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Nos primeiros cinco meses do ano, o número de novos empregos formais somou 1,26 milhão, mais da metade da meta de 2,5% milhões prevista para todo este ano. A criação de empregos durante os dois mandatos de Lula deve chegar a 15 milhões. De janeiro de 2003 ao fim de maio de 2010 foram gerados 13.013.131 postos de trabalho.

Mais famílias com alimentos suficientes durante todo o mês

A segunda é que subiu o percentual de famílias que avaliam ter alimentos suficientes ao final do mês, de acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), divulgada hoje (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento foi feito em 55.970 domicílios no país. O percentual de famílias que avaliam ter alimentos suficientes para chegar ao fim do mês é de 64,5% (2008-2009), superior aos 53% da pesquisa feita em 2002-2003.

Nada de crédito para quem escraviza trabalhador

A terceira é que as instituições financeiras integrantes do Sistema Nacional de Crédito Rural não podem mais conceder crédito a pessoas físicas ou jurídicas inscritas no cadastro de empregadores por manter trabalhadores em condições análogas à de trabalho escravo, do Ministério do Trabalho e Emprego. A decisão foi aprovada ontem na reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN).

Desnutrição infantil cai 62% no Brasil

A quarta é que um estudo do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional do Ministério da Saúde constatou que a taxa de desnutrição caiu cerca de 62% em crianças menores de cinco anos no Brasil entre 2003 e 2008. Com isso, a taxa passou de 12,5% (2003) para 4,8% (2008). O mesmo estudo constatou que o déficit de altura por idade também baixou de 20% para 14%. Os indicadores de desnutrição infantil referem-se aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e foram divulgados no Seminário Nacional de Alimentação e Nutrição que vai até amanhã, em Brasília.

E ainda tem gente que vai votar no Serra...vai entender.

No plenário: as justas homenagens a um povo heróico

Acabei de apresentar, da tribuna do plenário Newton Miranda, projeto que institui o dia 22 de novembro como o Dia da Comunidade Libanesa no Estado do Pará. Acho que esta comunidade merece ser lembrada, festejada e receber as honrarias pelo relevante papel que desempenha ou desempenhou para a formação do nosso povo, cultura e economia. São milhares de pessoas espalhada por todo o Pará, em especial na área do comércio, representando uma das pedras angulares da formação da sociedade paraense.

Faço questão de lembrar que esta comunidade já cedeu governadores para esse Estado, assim como alguns homens públicos, deputados, senadores, etc. A Assembleia Legislativa tem esta dívida com a comunidade libanesa radicada no Pará. Escolhi esta data que lembra o dia da independência do Líbano.

No Brasil já é lei

Em âmbito nacional, porém, o presidente Lula sancionou, anteontem, a lei Institui o dia 22 de novembro como Dia da Comunidade Libanesa no Brasil, homenageando esses importantes atores da vida do país, seja na economia, na política, na cultura e muitas outras.

Em nosso estado, meus amigos Joel Bitar (presidente da Accopa - criadores de ovinos e caprinos do Pará) e Makran (este presidnete do Clube Monte Líbano) representam essa inestimável contribuição e, com certeza, estão felizes com a iniciativa do presidente da República e do meu mandato.

Final de semana de muito trabalho

Esse foi um final de semana de muito trabalho. Entre viagens e reuniões, este mandato parlamentar desempenhou, com muito empenho, ações que colaboram com o desenvolvimento de várias regiões do Pará. Um trabalho digno, verdadeiro e que traz felicidade para uma boa parcela da sociedade. Foram oito municípios que nos receberam de braços abertos. Na maioria das agendas estive ao lado do companheiro Guto da Fetagri.

Em Benevides, Santa Bárbara e Tracuateua cumpri com meus deveres e entreguei uma motocicleta para cada um dos Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR). Ação oriunda de emenda parlamentar de minha autoria. Já em Nova Timboteua o STTR local recebeu um veículo 0Km, originado de outra emenda deste mandato.

Em Salinopólis, estive com o prefeito Vagner Cury entregando títulos de terras aos moradores do bairro Agrisal. Também participei do encontro que reuniu todos os conselheiros tutelares do município da Região Nordeste do Pará. Uma grandiosa luta pelo fortalecimento e universalização dos Conselhos Tutelares do Estado.

Já em Santa Maria do Pará, participei, com muito entusiasmo, do lançamento do Projeto Mulheres do Campo. Ouvi e debati propostas para alavancar a qualificação profissional da classe feminina. Por fim, fui abraçar os companheiros Antônio Newton (prefeito de Nova Esperança do Piriá) e Beto Faro (deputado federal) pela passagem dos seus natalícios. Realmente foram dias de muita alegria, o que fortalece ainda mais este mandato popular.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Todos pelo desenvolvimento do Pará

Da Agência Pará:

O presidente Lula e a governadora Ana Júlia Carepa serão as principais lideranças do ato público em favor do desenvolvimento sustentável na região do Xingu, na próxima terça-feira, 22, às 10 horas, no Estádio Bandeirão, em Altamira, município-pólo da região, com a participação de cerca de 20 mil pessoas. Ministros, secretários de Estado, prefeitos, lideranças comunitárias, entidades de classe e a população terão a oportunidade de ouvir e se manifestar sobre o Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável (PDRS) do Xingu, a Usina Hidrelétrica (UHE) Belo Monte, o asfaltamento da Transamazônica (BR-230) e da Santarém-Cuiabá (BR-163), o Programa Luz para Todos e questões que envolvem a regularização fundiária e ambiental.

O Consórcio Belo Monte, que congrega os 10 municípios da região do Xingu e o município de Gurupá (região do Marajó), é o responsável pela manifestação. "A sociedade local quer agradecer ao presidente da República pela determinação de resgatar obras que estavam há mais de 30 anos paradas, como o asfaltamento da Transamazônica, e também a importância da implantação da hidrelétrica", assegura Francisco de Assis dos Santos Souza, prefeito de Anapu e presidente do Consórcio, conhecido como Chiquinho.

Onde tem fumaça, tem fogo

Do blog do Bacana:

Beto Faro tá que tá.

E tá que tá não é de hoje não.

Beto juntou um montão de gente no Hangar, em seu aniversário. E juntou Jader com Ana.

Só mesmo esse Beto para conseguir isso !!!!

Haja faro, político no caso. Os dois ainda ficaram sentados ao lado, no maior ti ti ti.

Vai saber o que falaram ?!

Mas o Beto, tá que tá.

Um papelão ridículo

Do Blog Zé Dirceu:

É como se pode classificar a abertura ampla, geral e irrestrita de Flávio Dino... É como se pode classificar a abertura ampla, geral e irrestrita que o candidato a governador do Maranhão, deputado Flávio Dino (PC do B) estabeleceu para os partidos que quiserem integrar sua coligação e dar um palanque no Estado ao candidato da oposição a presidente da República, José Serra (PSDFB-DEM-PPS).

A única condição para se integrar à sua coligação, explicou Flávio Dino, é que o partido queira mudar a política no Maranhão e concorrer à eleição de outubro em oposição à governadora Roseana Sarney (PMDB).

É uma posição de incoerência, também. Nós fomos oposição a Roseana enquanto o PC do B do deputado participou de seus oito anos de governo anteriores; nós apoiamos Flávio Dino para prefeito de São Luís em 2008 enquanto o grupo de petistas que hoje o apóiam como candidato a governador fez campanha para João Castelo, que se elegeu prefeito da capital maranhense pelo PSDB.

Sem contar que a campanha do tucano Castelo contou com todo apoio do então governador do Estado, Jackson Lago (PDT), há muito aliado do PSDB do Maranhão. E é com Lago que Flávio Dino agora negocia para se aliarem e dar um palanque a Serra, e se for o caso, um dos dois retirar a candidatura ao governo maranhense.

sábado, 19 de junho de 2010

Aniversário Deputado Beto Faro

Hoje à noite vamos comemorar o aniversário do meu amigo de luta e de sonhos, companheiro deputado federal Beto Faro. Será uma grande festa no Hangar Centro de Convenções, a partir das 19 horas, onde militantes, prefeitos, vereadores, lideranças sindicais, presidentes e membros dos sindicatos de trabalhadores e trabalhadoras rurais virão festejar este grande momento. A governadora Ana Júlia Carepa também confirmou presença. Você está convidado para esta festa.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

A importância das alianças

VERMELHO - Como serão resolvidas as questões regionais que têm provocado grandes polêmicas e até casos graves como o da greve de fome dos petistas do Maranhão contrários à intervenção nacional nas decisões estaduais?

DUTRA - A aliança com o PMDB é considerada aliança estratégica, porque o PMDB é um grande partido brasileiro, tem capilaridade, muitos prefeitos, além do tempo de televisão, o que é muito importante, principalmente quando você é governo, porque a oposição só bate, mas governo tem que mostrar aquilo que fez. Nós consideramos estratégica e trabalhamos no sentido de garantir a aliança com o PMDB. Isso obrigou PT a entender que nós tínhamos que superar a fase de lançar candidatos em todos os estados. A história mostrou que lançar mais candidatos não significa eleger mais candidatos. O PT vai lançar 11 candidatos em todo país. Em comparação com outras eleições, houve uma redução significativa. Não significa que vamos eleger menos candidatos porque os nossos candidatos são mais competitivos. Na eleição passada, lançamos 20 e elegemos cinco e nessa eleição estamos lançando 11 e temos chances de eleger mais de cinco. E trabalhamos no sentido de que candidatos de outros partidos mais competitivos do que os nossos devem ter o nosso apoio. É o caso do Piauí. Nós governávamos o estado e estamos apoiando o nome do PSB. Com relação ao PMDB, não havia ilusão de que podia unificar o PT e PMDB em alguns estados. Em Pernambuco, o PMDB é liderado pelo senador Jarbas Vasconcelos que é uma das principais lideranças de oposição no Senado. No RS, nós temos uma disputa histórica do PT com o PMDB, mas já temos compromisso do PMDB do Rio Grande do Sul de que eles não apoiarão o Serra.

VERMELHO - Os dois palanques irão para Dilma?

DUTRA - Não há definição de que o palanque do Fogaça será da Dilma ou não. Já temos garantido que não será pro Serra, o que é um avanço significativo. Uma coisa é a idealização da realidade outra coisa é a realidade. São problemas localizados, conseguimos construir a aliança nacional que era nosso objetivo.

VERMELHO - O Sr. não fez referência ao caso do Maranhão. Eu gostaria de saber como o Partido vai resolver essa questão que ganhou repercussão com a greve de fome do deputado Domingos Dutra? O Manoel da Conceição suspendeu hoje a greve de fome.

DUTRA - Historicamente, o PT do Maranhão é um partido dividido. Não é fato que o Diretório Nacional tomou posição contra o PT do Maranhão. O que há de fato é um partido absolutamente dividido, em que o encontro estadual deliberou o apoio a Flávio Dino por dois votos e o diretório estadual deliberou por maioria também participar do governo da Roseana Sarney. São duas posições antagônicas. O Diretório Nacional teve toda legitimidade para tomar a posição que tomou, mesmo porque foi respaldado pelo Congresso Nacional do PT, que decidiu que o Diretório Nacional deliberaria sobre a posição do Maranhão. Mas sem qualquer ilusão de que vamos unificar o Partido no Maranhão. Nós sabemos que aquelas pessoas que defendiam o apoio ao Flávio Dino, vão continuar defendendo o Flávio Dino. Na eleição para prefeito, o PT se coligou com o PCdoB, apoiou o Flávio Dino, e o Domingos Dutra apoiou o João Castelo, do PSDB, numa demonstração clara de que no Maranhão não há, de um lado guardiões da ética e, do outro, os que querem solapar essa ética. O deputado Domingos Dutra é useiro e vezeiro em não respeitar a posição do PT do Maranhão. O que não significa que a candidata Dilma não reconheça que a candidatura de Flávio Dino também seja palanque dela. Eu, ontem, na convenção nacional do PCdoB, deixei isso claro, a partir do momento que a gente fechar as coligações todas, o conselho político que já existe, formado por representantes de todos os partidos políticos, vai se debruçar sobre o mapa do Brasil e a posição que o PT vai levar e eu como coordenador da campanha vou levar é que a Dilma tem que considerar como palanque dela todos os palanques dos estados que se propuserem a defendê-la, independente do PT estar no palanque ou não. Mesmo porque, existe exemplo de vários outros estados. No RJ, o PT está coligado com o PMDB, mas tem o palanque do Garotinho que vai apoiar a Dilma. Na Bahia, o PT tem candidato e o PMDB tem outro e a candidatura da Dilma vai ser apoiada pelos dois...

Esse é um trecho da entrevista dada pelo presidente do PT, José Eduardo Dutra, ao Portal Vermelho, que serve para refletirmos sobre a questão das alianças políticas. Recomendo a todas e todos a leitura para nosso debate.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

PSDB a caminho do cadafalso

Nessa semana política paraense, mais evidências demonstram o enfraquecimento do campo tucano, que sequer pode ser chamado de "demotucano", haja vista a debandada do casal Pires Franco da candidatura do ex-governador Simão Jatene, por este querer, mas não ter comando do próprio partido para aceitar a ex-vice-governadora Valéria Pires como nome para a chapa do Senado, numa coligação PSDB-PPS-DEM.

Por outro lado, a imprensa local repoduziu abundantemente a crise instalada em o senador Flexa Ribeiro, que é mais empresário do que político, pois se elegeu sem votos como suplente do prefeito Duciomar Costa (PTB), e o deputado federal Zenaldo Coutinho (PSDB). Flexa queboru acordo para transferir a presidência estadual do partido para Zenaldo, que prometeu não se engajar na campanha de "reeleição" do ex-presidente da FIEPA.

o senador Flexa Ribeiro não aceita Valéria Pires na chapa com ele, pois quer conquistar o segundo voto ao Senado do presidente do PMDB paraense, deputado federal Jáder Barbalho, e Valéria aperece bem posicionada nas pesquisas (assim como aparecia para a disputa municipal de 2008, então sem alardes...), colocando o atual senador tucano de escanteio nas intenções voto, no lugar de "traço nas pesquisas" de onde ele jamais saiu.

Contudo, Jatene, além de não comtrolar seu próprio partido, o que é uma enorme desmoralização enquanto candidato que quer e precisa mais do que nunca passar confiança à população, não pode brigar com Flexa Ribeiro, pois - é notório - como ex-presidente da Federação das Indústrias do Pará, ele exerce papel chave para arrecadar apoios de peso para a chapa tucana.

Do lado daqui, a bonança

Como vocês podem ver, os tucanos, isolados, estão num mato sem cachorro e enquanto isso avançam os entendimentos do PT com o PMDB e PTB, este podendo indicar o empresário Fernando Yamada na vaga suplente do companheiro Paulo Rocha. O prefeito Duciomar, astuto que é, não deve esticar a corda para inviabilizar esse acerto.

Para além desse diálogo, são boas as conversas com O DEM e já fechamos um amplíssimo campo de aliados, unindo PR, PDT, PV, PRB, PMN e PHS, além dos aliados históricos PC do B e PSB.

A rejeição da governadora despenca e a intenção de voto cresce, assim como a de Dilma e a popularidade do presidente Lula. O cenário eleitoral nunca esteve tão bom para o PT.

Segurança alimentar para os brasileiros, luta de Beto Faro

Quero parabenizar meu parceiro de lutas e sonhos, deputado federal Beto Faro, que foi relator de um projeto, aprovado no início do mês pela Câmara, fundamental para a agricultura familiar, que abastece 70% do consumo nacional, e para a segurança alimentar dos brasileiros.

A nova proposta homologada pela Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, na qual o deputado Beto é o vice-presidente, muda regras do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do governo federal, determinando, por exemplo, que o Estado adquira os produtos agropecuários de agricultores familiares a preços compatíveis com os vigentes no mercado, podendo ser até 30% superiores aos convencionais. O original pretendia apenas incluir produtos extrativos não madeireiros (açaí, castanha e sementes) entre os possíveis de serem comprados pelo PAA e conceder subsídios governamentais a essa atividade.

Quando conversamos sobre essa importante vitória dos nossos trabalhadores rurais, mas também de toda a sociedade, Beto me disse que mudou o projeto por entender que a extensão do PAA para os produtos extrativistas não madeireiros traria prejuízo ao objetivo principal do programa, que é combater a fome e a insegurança alimentar e, ao beneficiar um segmento, haveria desvio de parcela significativa dos recursos para aquisição de produtos não alimentares.

Entre as diretrizes propostas no substitutivo, também consta que os alimentos adquiridos pelo programa poderão destinar-se à formação de estoques públicos, para evitar capítulos conhecidos da nossa História, em que, para assegurar preços, setores empresariais escondiam a produção.

Morumbi fora, Mineirão é o favorito.

Por Paulo Henrique Amorim, no Conversa Afiada

Saiu no G1:

Diante do acima exposto, é óbvio que a abertura da Copa tem que ser Minas.

O Mineirão ainda tem a vantagem de ficar perto da Lagoa da Pampulha e perto da igrejinha do Niemeyer.

E o encerramento triunfal no Maracanã, o estádio mais bonito do mundo.

Cabe lembrar que o José Serra, depois de um encontro com Joseph Blatter, anunciou que o Morumbi abriria a Copa.

Como se vê, era, como diz ele, trololó.

Ambientalistas, o padrão neolítico e a paz de cemitério

Por Emir Sader, no blog dele

Em seu artigo “Belo Monte e o diabo” (publicado no Valor de 31/5/2010), Carlos Lessa compra uma briga indispensável: a favor dessa usina, pelo que significa de energia limpa, contra preconceitos transformados em dogmas.

Lessa inicia sua argumentação dizendo: “O Brasil dispõe de três grandes bacias hidrográficas, cada uma regida por um calendário pluviométrico e regime climático próprio e diferenciado.” Isto permitiu ao Brasil instalar a geração hidráulica como fonte prioritária de eletricidade e desenvolver um sistema integrado de usinas de geração e linhas de transmissão que possibilitou ao Brasil uma energia limpa, renovável e barata.

A privatização durante o governo FHC esquartejou o país, levando a um sistema que combina energia elétrica barata para as atividades eletrointensivas (como a produção de alumínio, cimento, papel e celulose) com energia extremamente cara para uso residencial, iluminação e empresas não eletrointensivas. O reino do mercado promovido na década de 90 sangra o consumidor brasileiro pelo custo de energia elétrica e “subsidia” as exportações de alumínio, aço, celulose de fibra curta, ferro silício, ferro manganês, entre outros. Com isso, nossas cidades ficam subabastecidas na iluminação pública, com graves conseqüências sobre a qualidade da vida urbana.

“A termeletricidade tem custos muito elevados, é altamente poluidora, mas é implantada com relativa rapidez”, afirma Lessa. Essa alternativa foi levada adiante devido à atrofia do investimento público em hidreletricidade e a falta de investimentos privados. Se as emergência devem contar com termelétricas, “é uma estupidez que um país com amplo potencial hidrelétrico não lhe confira prioridade a partir de um planejamento eficiente para instalar novas usinas hidrelétricas”.

A pressa de FHC para em privatizar desmantelou o setor elétrico estatal e implodiu o sistema de planejamento e financiamento do setor energético. O governo FHC contratou consultoria britânica, de um país que não dispõe de significativa hidreletricidade. “O governo Lula herdou uma situação caótica, cujo marco foi o grande apagão do final de FHC”, parte da herança maldita.

Belo Monte faz parte de um projeto de aproveitamento da sub-bacia da Região Amazônica, é a maior de um conjunto de 5 usinas, devendo ser a terceira maior hidrelétrica do planeta. Para isso é necessária “a remoção de cerca de 400 habitantes de uma ilha fluvial e a inundação de toda a área abrangida pela ferradura” (“Entre o escudo cristalino do Planalto Central e a Planície Amazônicas, está o Cânion de Volta Grande, que faz uma curva, quase uma ferradura, com um desnível de 90 metros entre seu início e seu final”.)

Os ambientalistas que se opõem à construção de novas grandes hidrelétricas na Região Amazônica, apontam perdas na atividade pesqueira, (E Lessa pergunta: “na represa não haveria peixe?”), perda na qualidade da água; inundação de floresta remanescente e de propriedades rurais e emissão de C02 e metano. “Cabe perguntar aos ambientalistas por que não avaliam a emissão alternativa de dióxido de carbono a partir de termeletricidade a ser alternativamente implantada. Os ambientalistas deploram os custos por evaporação da lâmina de água da represa (ao que eu saiba, toda água que evapora retorna sob a forma de chuva). Perdas por atividade turística (não há turismo para um grande reservatório?)” Acrescenta-se a isso o argumento da perda de biodiversidade, que até agora não foi avaliada.

Lessa argumenta que é inquestionável que Belo Monte vai gerar progresso para a sub bacia do Xingu e criará empregos durante e após a construção. “Porém o ambientalismo considera que o aumento populacional ocasionado pela presença da força operária e da mão de obra especializada durante a construção `provocará variações nos estilo de vida, hábitos e culturas´. É óbvia a preferência da população local pelos estilos de vida, hábitos e culturas de operários e profissionais com salários dignos, carteira assinada e consumidores de bens e serviços civilizados.”

“Para o ambientalista radical, a intervenção antrópica é sempre condenável; é contrário ao desenvolvimento social. Gosta do padrão neolítico e admira a 'paz de cemitério'”.

Lessa chama a atenção sobre a incongruência do ambientalismo brasileiro ao ser contra a hidrelétrica na Bacia Amazônica e, ao mesmo tempo, silenciar sobre as exportações crescentes de carne vermelha e soja, que impelem o capim e a lavoura de grãos destruindo as florestas e sua biodiversidade. Silenciam também sobre a expansão da termeletricidade, enquanto não se mobilizam contra a opção do Brasil exportar eletricidade.

Com essa oposição, conseguiram “mutilar o projeto de Belo Monte”, que será uma usina a fio d´água, que operará de forma reduzida durante os meses sem chuva no Brasil central. Foi reduzida em 26 metros a barragem, que terá um reservatório 70% inferior ao possível. O Brasil abriu mão de 4 mil quilômetros de hidrovias navegáveis, quando o transporte aquaviário é o de mais baixo custo logístico para o Brasil, mas o ambientalismo defende hidrovias reguladas por grandes aproveitamentos hidreléticos e navegáveis a partir de esclusas.

Conclui Lessa sobre “o silêncio da versão domesticada do ambientalismo que se diz favorável ao desenvolvimento renovável “. Não há nada mais renovável do que a hidreletricidade. ”O governo Lula merece parabéns por, finalmente, tocar Belo Monte.” Mas recorda que “o diabo mora nos detalhes” e a timidez do governo é que dever ser criticada e não a construção de Belo Monte, que é saudada por Carlos Lessa.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

No plenário, terça-feira: valorizando servidor da ALEPA

Foi muito proveitosa a sessão ordinária desta terça, 15. As galerias estavam lotadas, funcionários da educação e da Casa na espera do final feliz. Esse foi o resultado, proveitoso para ambas as partes, após a aprovação, em todos os turnos de votação, do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) da Assembleia Legislativa do Estado do Pará, Plano Estadual de Educação e do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração do Magistério da Educação Básica da Rede de Ensino do Estado do Pará. São projetos que adéquam o ordenamento promocional dos funcionários destes órgãos, além de injetar o impacto financeiro em favor destes funcionários.

Araí Peroba

No sábado à noite estive na Reserva Extrativista Araí Peroba, em Augusto Correa, entregando ambulância para a população local. As chaves do veículo foram entregues ao presidente da Reserva, o companheiro Ronaldo, que substituiu meu grande amigo Chico do Araí (in memoriam). Fizemos uma bela homenagem ao querido Chico, com sua foto nas laterais da ambulância. O prefeito Amós Bezerra esteve ao meu lado, assim como a esposa do Chico, a amiga Helena Picanço, a professora Adria, o vice-prefeito Júnior e lideranças da região.

Trabalhando por Cachoeira do Piriá

No município de Cachoeira do Piriá entreguei uma motocicleta ao Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais. O veículo será fundamental para a organização, mobilização e reunião dos agricultores e agricultoras da região.

Na ocasião também conversei com lideranças de 15 comunidades de Cachoeira do Piriá, na presença do vereador Toinho do Josué e do companheiro Guto, presidente da Fetagri. No município, Bordalo intercedeu pela recuperação de 40km de estrada na região, além de acompanhar o processo que levou a inauguração do escritório da Emater, um dos maiores da região Nordeste com mais de 15 técnicos trabalhando no escritório.

Mais kits estrada para o desenvolvimento

Foi com muita alegria que participei da entrega dos kits do Programa Faz Estrada neste último final de semana. Em mais esta etapa do programa, entreguei, na companhia da governadora Ana Júlia, patrulhas mecanizadas (kit com uma caçamba, uma pá carregadeira, uma motoniveladora e um trator de pneu) às prefeituras de Abel Figueiredo, Aurora do Pará, Ipixuna do Pará, Mãe do Rio, Rondon do Pará, Tomé-Açu, Ulianópolis, Paragominas, Irituia, Capitão Poço, Garrafão do Norte, Ourém e Nova Esperança do Piriá.

Este é um programa muito importante, pois os agricultores e agricultoras sabem da importância das estradas estarem, efetivamente, em condição de tráfego. As máquinas também são destinadas para obras de recuperação, manutenção e abertura de estradas vicinais e ramais na zona rural, e ainda podem ser utilizadas na zona urbana, no alinhamento de vias não pavimentadas, deixando prontas, inclusive, para receber pavimentação asfáltica ou bloquetes.

terça-feira, 15 de junho de 2010

4 x 0...é o mínimo

O blog dá uma pausa para assistir o jogo do Brasil contra a Coréia do Norte. Meu palpite: 4 x 0. É o mínimo que aceitamos, já que a Alemanha emplacou o mesmo resultado contra uma seleção tão fraca quanto, muito embora os placares estejam sendo apertados.

Kim Jong Il não será dessa vez homenageado pela performanece de seus compatriotas, vai dar Brasil!

Uma curiosidade: não sei se para saudar a revolução socialista empreendida pelo povo russo em 1917, criando o primeiro Estado governado por trabalhadores mas, nesse ano, uma das cores da camisa da nossa seleção foi o vermelho...isso mesmo! Duvida? Veja aqui então.

Bom jogo para todas e todos!

Dilma fala ao país

Companheiras e Companheiros do meu partido,

A minha emoção é muito grande. Mas a minha alegria também é muito grande por esta festa estar tão cheia de energia, tão cheia de confiança e esperança. Sei que esta festa não é para homenagear uma candidata. Aqui nós estamos celebrando, em primeiro lugar, a mulher brasileira. Aqui se consagra e se afirma a capacidade de ser, de fazer da mulher brasileira.

Em nome de todas as mulheres do Brasil, em especial, da minha mãe e da minha filha, recebo essa homenagem e essa indicação para concorrer à Presidência da Republica. Ser a primeira mulher presidente do meu País é o que eu almejo. É também em nome delas que eu repito, eu abraço essa missão deferida pelo meu partido, o Partido dos Trabalhadores, e pelos partidos da nossa coligação que hoje estão aqui presentes.

A energia, companheiros e companheiras, que move esta grande festa brasileira, é a força do trabalho. É a força do sonho de um povo que sempre lutou e jamais perdeu a esperança. E que levou a presidência um trabalhador que provou que um novo Brasil é possível. Um Brasil justo, um Brasil forte, um Brasil democrático, um Brasil independente. Cheio de oportunidades para todas as brasileiras e os brasileiros.

E não é por acaso que, depois desse grande homem, ele pode ser governado por uma mulher. Um Brasil de Lula com a alma e coração de mulher.

Esse é o início do discurso de Dilma, apresentando suas idéias fundamentais ao povo brasileiro, na Convenção Nacional do PT, nesse domingo. Leia a íntegra do discurso de Dilma.

Competência de Lula, com olhar de mulher

Hoje, dia de jogo do Brasil na Copa do Mundo 2010, nada melhor do que um bom espírito nacional, o autêntico, que ama o país, gosta de ver o povo alimentado, calçado, vestido, com dinheiro para o lazer, admira nossa soberania e respeito diante do mundo e aplaude o crescimento econômico inédito. Por isso, ofereço a vocês, abaixo, a primeira parte do discurso, na Convenção Nacional do PT, daquela que será, com a força do povo, a continuadora desse exemplo de Brasil que dá certo, Dilma Rousseff:

O restante do discurso você pode assistir aqui.

Governo "com alma e coração de mulher"

Por José Dirceu, no blog dele

O compromisso do título acima com todas as mulheres e homens do país foi assumido pela candidata Dilma Rousseff (governo-PT-partidos aliados) na convenção que oficializou sua candidatura no fim de semana (domingo), em Brasília.

A candidata assegurou o prosseguimento da administração e das políticas atuais e antecipou como isso se dará: "O nosso presidente Lula mudou o Brasil e a nação, por causa dessa mudança, quer seguir mudando. A continuidade que o Brasil deseja é a da mudança que nós conseguimos consolidar no governo do presidente Lula. É seguir mudando para melhor". Fazendo um governo, completou "com alma e coração de mulher".

Dilma sai candidata com a maior coligação partidária da história do país em apoio a um postulante numa eleição presidencial; uma aliança coesa que lhe garante palanque forte em todos os Estados; com um vice-presidente, deputado Michel Temer (PMDB-SP); em situação de empate com o principal adversário nas pesquisas de intenção de voto - ganhando, inclusive, em várias delas; e com programa de governo de metas e rumo definidos para o país.

Ela rebateu as críticas dos adversários de que sua campanha divide o país, ao defender uma eleição plebiscitária em que a população vai avaliar os governos dos presidentes Lula e FHC. "Nesta campanha nós vamos debater em alto nível. Vamos mostrar ao povo que somos diferentes dos outros candidatos, mas depois de eleitos vamos governar para todos os brasileiros", tranquilizou Dilma, numa contestação de resto desnecessária, já que os brasileiros não só não acreditam nessa história da oposição como entendem a acusação, feita para fugir da comparação tão temida pelo candidato conservador.

Governavam só para um terço da população

"O tabu mais importante que derrubamos foi o de que era impossível governar para todos os brasileiros. Historicamente, quase todos os governantes brasileiros governaram para 1/3 da população. Para muitos deles, o resto era peso, estorvo e carga", destacou Dilma, em outro trecho de seu pronunciamento em que retratou com fidelidade a prática de governos anteriores aos do presidente Lula.

Dilma também relacionou as prioridades de seu futuro governo: investimentos em saúde, educação e em infra-estrutura. Na educação, a criação de creches e maiores aplicações nos ensinos técnico e superior, além de tratar os professores com a dignidade que estes merecem e não com polícia, cassetete e repressão como ocorreu na recente greve de professores paulistas quando o candidato a presidente pela oposição, José Serra, era governador.

Já na saúde, detalhou, "nossas prioridades estarão baseadas em três pilares: financiamento adequado e estável para o Sistema; valorização das práticas preventivas; e organização dos vários níveis de atendimento, garantindo a assistência básica, ambulatorial e hospitalar de alta solução em todos os Estados."

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Anivaldo vice e novos cenários abertos com PP, PTB, DEM e PMDB

Com a confirmação do Anivaldo como Vice da governadora Ana Júlia, reportando-se que ele detém uma parcela considerável de egressos da antiga união pelo Pará - lideranças, a despeito de siglas - o cenário fica mais forte e com maior magnetismo à vinda do PTB para fortalecer a frente de combate já no primeiro turno.

Duciomar pede vaga ao Senado, uma proposta na mesa como várias outras, mas o importante é que o diálogo se desenvolve bem e o prefeito sabe que precisa mediar seus movimentos com o julgamento de seu processo de cassação que vai, tudo indica, de forma derradeira, amanhã (15.06), que envolve também a posição indefinida, não tenham dúvidas, do PMDB.

Anivaldo é uma figura exponencial e que pesa na balança como o nome forte e respeitado na política paraense perante importantes lideranças - repito - e ante a sociedade, tudo isso associado as importantes conversas feitas com o DEM, que já se mostrou contrário em fechar com o PSDB, que no pleito eleitoral municipal abandonou a candidatura de Valéria, mesmo tendo como Vice a figura de Paulo Chaves, para fortalecer a candidatura de Duciomar.

O PP, DEM e o PMDB: Jatene cada vez mais isolado

O DEM quer uma chapa forte para Valéria e Vic e negociam isso, não se imiscuindo no debate mais programático, portanto crises "ideológicas" são completamente descartadas e injustificadas.

Esperemos profundas reflexões nas proposituras do PMDB, seja por conta desse novo cenário de Anivaldo Vice da companheira Ana Júlia, seja em virtude da aliança nacional Dilma de Temer, que fechado importantes estados da federação como é o caso de Minas, DF e Maranhão, tendem a favorecer o entendimento aqui. Jáder é um líder central do PMDB nacional, por isso sabe que essa é a tendência mais real e sensata.

Quanto ao PP, de Gerson Peres, esse já está mais do que fechado, como ele mesmo confirmou nesse fim de semana, dizendo que essa aliança já existe há quatro meses, que os progressistas compõem o governo e que melhor sinal que isso não há.

A candidatura do PSDB, Simão Jatene, agoniza, tanto é que o empresário Flexa Ribeiro disse hoje, em entrevista ao blog Espaço Aberto, declarar o isolamento brutal dos tucanos: "São os eleitores. É com eles que nós estamos buscando alianças".

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Mirasselvas: mais um passo foi dado

Ontem, 10.06, meu mandato realizou, na Câmara Municipal de Capanema, audiência pública que debateu políticas para o desenvolvimento do turismo no distrito de Mirasselvas. O distrito foi transformado em estância turística para o estado do Pará, por lei proposta por mim, na Assembleia Legislativa.

A principal demanda surgiu da parceria do meu mandato com a Diretoria de Patrimônio (DPAT) da Secretaria de Cultura do Estado (Secult) que, através do Programa de Preservação do Patrimônio Cultural do Estado do Pará vai revitalizar a antiga estação de trem do distrito de Mirasselvas. Já disponibilizei uma emenda de R$ 100 mil para esse projeto, transformando a antiga estação de trem num centro de memória da estrada de ferro Belém Bragança.

Além de recuperar a antiga estação de trem, o Programa vai disponibilizar fotografias, documentos e depoimentos no Centro de Referência e Memória, composto por biblioteca, arquivo digital, infocentro e memorial da Ferrovia Belém-Bragança. Junto com tudo isso vamos fazer salas para realização de cursos, eventos e inclusão digital com internet de banda larga.

Na ocasião, representantes de órgãos da esfera estadual e municipal, vereadores e lideranças do distrito lotaram o plenário da Câmara. Os presentes estavam atentos e ficaram felizes com as notícias apresentadas na audiência.

Faço questão de agradecer a presença e o apoio dos vereadores Antônio Maria, Carioca e Chico Adalgiso, dos ex-prefeitos Chico Neto e Alexandre Buchacra, Arnaldo de Mello (coordenador da Emater de Capanema), Lélia Fernandes, Leila Barbosa e Luiz Flávio da Secult, Antônio Kawuat (representando o setor empresarial), companheiro Mario Brandão, Eduardo do Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rural de Capanema e dos alunos da Escola de Ensino Fundamental e Médio Cezar Pinheiro. É com este trabalho e apoio de todos que espero contribuir para presentear Capanema no seu centenário, com esta revitalização e recuperação da sua identidade cultural.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Boa audiência em Capanema

Nesse momento, está bastante concorrida a audiência aqui em Mirasselvas, em Capanema, estância turística do Pará, cujo projeto é de minha autoria.

Várias entidades, população, vereadores, orgãos públicos participando.

Depois, farei o relato.

PIB de 9%: “Surto” demonstra que economia do Brasil está doente

Por Luiz Azenha, no Viomundo

De Carlos Alberto Sardenberg, no Jornal da Globo, explicando a hecatombe que se aproxima: o crescimento de 9% do PIB foi anunciado como “surto”, mas não disseram se é ou não contagioso. Notem os verbos e as imagens usadas para transformar uma boa notícia numa terrível ameaça:

“Não é bom e não é um problema só brasileiro. O país quando ele cresce além das suas possibilidades o que acontece? Começa a faltar estrada, começa a faltar porto, começa a entupir os aeroportos, começa a faltar mão de obra, começa a faltar matéria prima, etc. O correto para os bancos centrais, para os governos é não deixar a coisa estourar nesse ponto, é tomar medidas preventivas quando a economia ameaça crescer mais do que pode, que é o caso do Brasil e até o caso da China, que está crescendo mais do que pode lá no esquema deles, né?”.

Para se divertir com o vídeo, clique aqui.

Quem queria negociar era o Irã

Por Paulo Henrique Amorim

Ao comentar em uma cerimônia pública em Natal (RN) a decisão do Conselho de Segurança da ONU de aplicar sanções ao Irã, o presidente Lula declarou:

É um equivoco.

Quem queria negociar era o Irã.

Quem não queria negociar eram aqueles que acham que a força resolve tudo.

O Conselho de Segurança perdeu uma oportunidade histórica.

As sanções contra o Irã não vão dar em nada contra o Irã.

E, como anunciou o Governo do Irã, o Irã não vai recuar um milimetro.

E o Conversa Afiada quer ver o Obama invadir o Irã

Com a Hillary no pelotão da frente.

O balanço de maio da campanha: descendo a Serra

Por Emir Sader

O desenrolar da campanha em maio reverteu a tendência predominante em abril e recolocou os termos da campanha nos meses anteriores: crescimento da Dilma, às custas dos que tinham dito que votariam pelo candidato de Lula, mas que ainda expressavam seu voto pelo Serra. Até pesquisas que, de uma ou outra maneira, não refletiam ainda o empate técnico, com tendência a clara subida da Dilma e do descenso do Serra. Os efeitos das pesquisas não foi o da constatação do empate, mas a definição clara da tendência a que a Dilma já esteja liderando hoje ou que tende a liderar as pesquisas futuras.

A avaliação da candidatura da Dilma é que a identificação dela com o Lula é o fator fundamental do crescimento dela e da baixa do Serra. A avaliação da candidatura do Serra é que a super exposição da Dilma junto com o Serra teria sido a causa, que teria em uma exposição intensa do Serra em junho, a resposta.

O certo é que se esgotou a primeira imagem tentada pelo Serra: a de tentar reter votos que apóiam ao governo, tratando de passar por o melhor continuador dele, baseado no “pode mais”. Depois de certo desconcerto, o Serra se deu conta que o fortalecimento do consenso em torno do Lula e a projeção cada vez maior da identificação deste com a Dilma, não o favorecia e não impedia a sangria de votos para a candidata do governo.

Serra teve que fazer o que buscava evitar: ser o anti-Lula. Foi rapidamente adotando a receita tradicional da direita: segurança e diminuição dos impostos. A promessa da criação de um Ministério da Segurança e os ataques à Bolívia representam a tentativa de explorar o viés conservador de setores da classe média, para o que também converge a promessa de diminuir impostos – sem dizer de que setores cortaria a tributação.

O mais significativo da virada nas preferências do eleitorado na campanha foi a perda de iniciativa do Serra, que passou a responder a políticas do governo e a propostas da Dilma. Foi assim que destemperou seu ânimo contra a política externa (Mercosul, Venezuela, Irã, Bolívia), revelando um provincianismo, que revela uma incompreensão do que é o mundo de hoje, dos sucessos inquestionáveis da política externa brasileira e do desastre que seria uma política baseada nas afirmações dele (muito propriamente chamado de “exterminador do futuro” por Marco Aurélio Garcia).

Leia a íntegra do artigo do grande professor Emir Sader, clicando aqui.

PT é o mais querido do Brasil

Quase um terço da população brasileira tem preferência ou simpatia pelo Partido dos Trabalhadores. Esta é a constatação da pesquisa Ibope divulgada no último fim de semana.

De acordo com o levantamento, que também revelou um crescimento significativo da pré-candidata petista à presidência, Dilma Rousseff, 29% dos brasileiros manifestaram preferência partidária pelo PT. Por outro lado, partidos como o DEM (ex-PFL) e o PSDB contaram apenas com 1% e 6% da preferência do eleitorado, respectivamente.

Leia mais sobre esses fantásticos números do Ibope na reportagem PT é o partido preferido da população brasileira, aponta Ibope.

Um pouco mais sobre os jovens rurais

Volto a falar do Encontro da Juventude do Nordeste Paraense, evento realizado no município de São Domingos do Capim nos dias 28 e 29 de maio. Estive acompanhado de uma grande caravana de lideranças do PT e de lideranças da Federação dos Trabalhadores na Agricultura.

Ao chegar ao ginásio fiquei extremamente emocionado ao ver mais de 1.200 jovens reunidos para discutir a realidade da juventude do nordeste do Pará, e para discutir propostas, projetos no sentido de enfrentar essa realidade. Jovens que vinham de Paragominas, Aurora do Pará, Mãe do Rio, Viseu, entre outros municípios.

Participei do debate sobre políticas públicas para a juventude. Disse aos jovens que nos últimos sete anos começamos a viver uma etapa de efetivas políticas públicas para a juventude no plano nacional e no plano estadual. Até então, o que se conhecia eram projetos muito pequenos, situados geograficamente num bairro, numa comunidade, ou seja, envolvendo pouca gente, mas que não eram entendidos como uma ampla política de inclusão maciça da juventude brasileira, ou da juventude paraense.

Pontuava com os jovens que, felizmente, o Brasil nos últimos sete anos começou a experimentar o enfrentamento real dessas carências e exclusões. Até o final do Governo Lula serão entregues 13 novas universidades no Brasil, uma delas será a Universidade do Oeste do Pará. Também nesse período serão mais de 230 escolas técnicas. O Governo do Presidente Lula, de uma forma inteligente, criou o PROUNI, já são mais de 600 mil jovens brasileiros que estão sendo atendidos pelas políticas de inclusão educacionais no plano superior do Governo Federal. Além disso, também criou-se o PROJOVEM que está buscando recuperar a escolaridade daqueles que por algum motivo tiveram que abandonar as escolas.

No Pará, a governadora Ana Júlia, além de adotar e levar em frente esses projetos, criou o primeiro programa que enfrenta o problema da exclusão produtiva do jovem paraense, que é o Bolsa Trabalho. Estamos atendendo mais de 60 mil jovens no Pará, nos aproximando rapidamente dos 80 mil. Desses, mais de 40 mil já recebem ou receberam algum tipo de apoio para a qualificação profissional. Desses, mais de 16 mil já estão com carteira assinada, já estão trabalhando.

Portanto, precisamos fazer que esses programas se interiorizem, cheguem mais ao jovem rural para combater o envelhecimento do campo. Tenho um projeto tramitando na Assembleia Legislativa que enfrenta essa questão, dando ao jovem filho de trabalhador rural, que ele possa ter lugar nas contratações, para assistência técnica e extensão rural de programas que possam ser desenvolvidos no setor rural do nosso Estado.

Outro projeto reserva 30% das vagas nos concursos públicos para jovens entre 18 e 29 anos. Nesta faixa etária está a maior dificuldade para o acesso no mercado de trabalho, porque dizem que o jovem não tem experiência.

Quero parabenizar o Presidente Lula e a Governadora Ana Júlia por terem iniciado essa nova geração de políticas para a juventude no Brasil e para a juventude no Pará. Espero que daqui pra frente possamos ampliar essas políticas, torná-las mais universalizadas, interiorizá-las e atender o maior número possível de jovens do Pará, para que o jovem do meu estado tenha um futuro e uma perspectiva para criar as suas famílias, os seus filhos com dignidade e dentro do padrão razoável de vivência social e econômica.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Para fortalecer o turismo de Mirasselvas

Amanha, quinta (10.06), meu mandato promove audiência pública na Câmara Municipal de Capanema para debater “políticas de desenvolvimento turístico para o distrito de Mirasselvas”. Atualmente, Mirasselvas é reconhecido como estância turística, através da Lei nº 7.277 de 24 de junho de 2009.

Cerca de um ano após a publicação da lei, eu, que sou autor do projeto que originou a referida lei, pretendo reunir representantes de órgãos públicos estadual e municipal, autoridades locais e sociedade civil organizada de Capanema, com intuito de achar soluções para o desenvolvimento do turismo na região. Queremos que os investimentos crescem nesta importante vila de Capanema e com isso somar para o desenvolvimento da região.

Mirasselvas

Tudo começou em 1902, quando o intendente Cezar Pinheiro resolveu explorar as selvas dos arredores capanemenses e, às margens do rio Quatipuru admirava aquela que seria a sua morada e vila predileta de muitas famílias que aos poucos se radicavam no local. A partir daí, o então povoado de Cachoeira do Major Bento foi transformado em Mirasselvas.

Com a estrada de ferro de Bragança cortando a vila o progresso se instalou e Mirasselvas passou a ser grande produtor agrícola e isso fez com que muita gente tenha optado em fazer morada no, agora, distrito que já foi sede do município de Capanema.

Caso Seffer: justiça feita!

O ex-deputado e médico Luiz Afonso Proença Sefer foi condenado e teve a prisão decretada, na manhã desta terça-feira (08.06) pela juíza Maria das Graças Alfaia Fonseca, titular da Vara Penal de Crimes Contra Crianças e Adolescentes de Belém, por abusar sexualmente de uma menina de 09 anos. A pena do ex-deputado Sefer foi fixada em 21 anos de prisão, para ser cumprido em regime inicialmente fechado, numa das Casas Penais da Região Metropolitana de Belém.

Assim começa a reportagem do site do Tribunal de Justiça do Pará, mostrando que valeu a luta pela CPI da Exploração Sexual Infanto-Juvenil, da qual eu fui o requerente.

Seffer achou que ficaria impune e debochou da Justiça, dos trabalhos da CPI, da sociedade e de suas vítimas ao declarar que pretendia se recandidatar a deputado estadual este ano. Ele ainda vai ter que pagar R$ 120 mil reais à, hoje, jovem por ele abusada.

Ficou para daqui a duas décadas.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Esforços em Minas valem no Pará

PT e PMDB selaram aliança em Minas Gerais: senador Hélio Costa ao governo e o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, para o Senado.

Nenhum óbice a mais para a aliança nacional, que fortalece como nunca a candidatura de Dilma, mas é preciso registrar que o PT apoia o PMDB em mais lugares do que vice-versa.

Portanto, esses dois fatos demonstram que é hora de o PMDB paraense refletir e dar sua contrapartida, até porque é liderado por um dos principais dirigentes nacionais da sigla, e somar forças desde já, no primeiro turno, na reeleição da governadora Ana Júlia.

Aliás, podem vir de Minas as cenas dos próximos capítulos da futura derrota tucana no Pará.

A consciência da incompetência

O setor de infraestrutura receberá o maior volume de investimentos por parte do Estado no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento do Pará (PAC do Pará). Serão cerca de R$ 3,4 bilhões, dos R$ 6 bilhões que o Governo Popular investirá entre 2011 e 2014, para a pavimentação de rodovias, construção de terminais hidroviários, implantação de parques de ciência e tecnologia e mais 600 infocentros em todo o Pará
Esse é o começo da matéria da Agência Pará sobre o lançamento do PAC Pará, ontem, no Hangar. Clique para saber mais.

Os tucanos são mesmo engraçados, pois cantando vitória há quatro meses antes das eleições, a partir de uma pesquisa onde Jáder, Valéria e Almir Gabriel concorrem - o que está fora de questão - se irritam com o anúncio desse mega investimento da governadora Ana Júlia.

Deve ser por conhecerem sua clássica incompetência e má vontade para com os investimentos, sejam sociais ou em infra-estrutura (que consideram "gastos"), raíz das crises, sucateamento e desorganização administrativa que plantam onde governam.

Mas, o PSDB não deve se preocupar. Essa é apenas a segunda geração de políticas de desenvolvimento que o Pará vai vivenciar a partir do ano que vem, com o PT e seus aliados à frente do estado.

Paulo Rocha "bem na foto"

Paulo Rocha, o deputado federal que concorrerá ao Senado pelo PT, é uma das grandes surpresas da pesquisa do Ibope(...)

Ele está a apenas 25 pontos percentuais de Valéria Pires Franco, que será candidata ao Senado.(...)

Paulo Rocha bem na foto com 25 pontos abaixo de Valéria? Sim, é claro que está bem na foto.(...)

enquanto muitas imaginavam que Paulo Rocha seria apenas um traço, ele já aparece com 20% das intenções de voto, em terceiro lugar.

Esse é o experiente jornalista Paulo Bemerguy analisando a viabilidade do companheiro Paulo Rocha. Leia aqui a íntegra da análise dele.

Lupa na pesquisa do Ibope/PA

Está absolutamente viciada a pesquisa Ibope sobre as eleições no Pará, que foram divulgadas esse fim de semana, que aponta a estranha "vitória" do ex-governador Simão Jatene.

Para começar porque, segundo a imprensa, é a única pesquisa a identificar um cenário de vitória do tucano. As outras, havidas como "internas", mas devidamente "vazadas", sempre mostraram outra coisa: Jáder na liderança, seguido da governadora em situação de empate técnico. Jatene na rabeira. Qual fato relevante, além da entrega dos Kits Estradas, da inauguração da indústria do Biodiesel e do Ação Metrópole, poderia ter alterado o quadro?

Depois, os cenários pesquisados não estão postos. Por exemplo, há um em que Jatene aparece com 25%, Jáder Barbalho com 24%, a governadora Ana Júlia com 23% e Valéria Pires com 12%. Ora, mas Jáder já declarou sua opção pelo senado e Valéria jamais se apresentou à disputa, também dando sinais nítidos de que concorrerá à Câmara Alta. Então, Jatene 25% x 23% da governadora, que é o que resta, já está metodologicamente comprometido.

Em outro cenário, com Jatene fora (?), Jáder aparece com 26%, a governador acom 23%, Almir Gabriel com 21% e Valéria com 14%. Mas, Jatene está dentro e Jáder fora, caso idêntico de Almir. Esse é o cenários mais inválido de todos. Em outro, que poderia ser mais próximo do real, com Valéria fora, Jatene soma 33%, Ana Júlia 27% e Jader 25%. Só que, repito, com a saída de Jáder, o quadro se compromete. Para ter alguma credibilidade, teríamos que conhecer como se comporta o eleitor do líder do PMDB sem ele na disputa, ainda que havendo outro nome peemedebista.

Os contextos mais atrozes e surreais se dão nas projeções de segundo turno. Numa delas, segundo o blog Espaço Aberto, "o tucano, com apoio do PMDB de Jader, vence Ana Júlia por 46% a 37%". Só que o PMDB é Dilma e estará com o PT no segundo turno paraense, já tendo descartado acordo, pelos acertos nacionais, com o PSDB. Portanto, não vale.

Agora, preste atenção leitor, não estou querendo dizer que a governadora hoje ganharia a eleição com facilidade e no primeiro turno. Há uma disputa dura, de projetos, de perfis, que será travada e definirá o vencedor. Por isso, no único cenário que pode ser considerado, que é um de segundo turno, que mostra vitória de Jatene contra a governadora (45% a 35%), ainda que o PMDB apoiasse o PT, é o que disse sempre aqui no blog: vamos reverter, como estamos melhorando muito na região metropolitana especialmente, enquanto nomes e números das realizações do Governo Popular vão aparecendo. No quesito Comparação destes com os últimos quatro anos - os de Jatene justamente! - o PSDB perde.

A verdade é que a única coisa que a pesquisa mede é a viabilidade eleitoral de Valéria Pires. Não para disputar, mas para o DEM poder saber sua margem de negociação pré-eleitoral.

O caso do suposto Dossiê

Por Luis Nassif, no blog dele

À primeira vista, não fazia lógica a história da divulgação do suposto dossiê contra a filha de José Serra, que estaria sendo armado pelo PT.

Primeiro, por ser inverossímil. Com a campanha de Dilma Rousseff em céu de brigadeiro, à troco de quê se apelaria para gestos desesperados e de alto risco, como a divulgação de dossiês contra adversários? Se a campanha estivesse em queda, talvez.

Além disso, os dados apresentados pela Veja, repercutidos pelo O Globo, eram inconsistentes. Centravam fogo em Luiz Lanzetta, que tem uma assessoria em Brasília que serve apenas para a contratação de funcionários para a campanha de Dilma – assim como Serra se vale da Inpress e da FSB para suas contratações.

Serra atacou Lanzetta, inicialmente, através de parajornalistas usualmente utilizados para a divulgação de dossiês e assassinatos de reputação. Só que há tempos caíram no descrédito e os ataques caíram no vazio. Serviram apenas como aviso.

Aí, se valeu da Veja que publicou uma curiosa matéria em que dava supostos detalhes de supostas conversas sobre supostos dossiês, mas nada falava sobre o suposto conteúdo do suposto dossiê.

Até aí, é Veja. Mas os fatos continuaram estranhos.

Há tempos a revista também caiu em descrédito tal que sequer suas capas são repercutidas pelos irmãos da velha mídia. Desta vez, no entanto, entrou O Globo, inclusive expondo a filha de Serra – como suposto alvo do suposto dossiê. Depois, o próprio Serra endossando as suposições, em um gesto que, no início, poucos entenderam. A troco de quê deixaria de lado o «Serra paz e amor» para endossar algo de baixa credibilidade, em uma demonstração de desespero que tiraria totalmente o foco da campanha?

Havia peças faltando nesse quebra-cabeças. Mas os bares de Brasília já conheciam os detalhes, que acabaram suprimidos nesse festival de matérias e editoriais indignados sobre o suposto dossiê.

A história é outra.

Quando começou a disputa dentro do PSDB, pela indicação do candidato às eleições presidenciais, correram rumores de que Serra havia preparado um dossiê sobre a vida pessoal de seu adversário (no partido) Aécio Neves.

A banda mineira do PSDB resolveu se precaver. E recorreu ao Estado de Minas para que juntasse munição dissuasória contra Serra. O jornal incumbiu, então, seu jornalista Amaury Ribeiro Jr de levantar dados sobre Serra. Durante quase um ano Amaury se dedicou ao trabalho, inclusive com viagens à Europa, atrás de pistas.

Amaury é repórter experiente, farejador, que já passou pelos principais órgãos de imprensa do país. Passou pelo O Globo, pela IstoÉ, tem acesso ao mundo da polícia e é bem visto pelos colegas em Brasília.

Nesse ínterim, cessou a guerra interna no PSDB e Amaury saiu do Estado de Minas e ficou com um vasto material na mão. Passou a trabalhar, então, em um livro, que já tem 14 capítulos, segundo informações que passou a amigos em Brasília.

Quando a notícia começou a correr em Brasília, acendeu a luz amarela na campanha de Serra. Principalmente depois que correu também a informação de um encontro entre Lanzetta e Amaury. Lanzetta jura que foi apenas um encontro entre amigos, na noite de Brasília. Vá se saber. A campanha do PT sustenta que Lanzetta não tem nenhuma participação na campanha.

Seja como for, montou-se de imediato uma estratégia desesperada para esvaziar o material. Primeiro, com os ataques iniciais a Lanzetta, que poucos entenderam o motivo: era uma ameaça. Depois, com a matéria da Veja.

A revista foi atrás da história e tem, consigo, todo o conteúdo levantado por Amaury. Curiosamente, na matéria não foi mencionado nem o nome da filha de Serra, nem o do repórter Amaury Ribeiro Jr. nem o conteúdo do suposto dossiê.

O Globo repercutiu a história, dando o nome da filha de Serra, mas sem adiantar nada sobre o conteúdo das denúncias – medida jornalisticamente correta, se fosse utilizada contra todas as vítimas de dossiês; mas só agora lembraram-se disso.

Provavelmente Veja sairá neste final de semana com mais material seletivo do suposto dossiê. Mas sobre o conteúdo do livro, ninguém ousa adiantar.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Bom feriado a todas e todos!

Desejo a todos um excelente feriado, com muita diversão, mas também reflexão.

Na segunda, retomamos as postagens.

Grande abraço,

Carlos Bordalo

Duas charges que resumem a semana nacional

Estado contempla professores...direita chia

(Foto extraída do blog Uruá-Tapera)

Estado e professores selaram o fim da greve, que já durava 25 dias. Não por que havia qualquer "acuamento", mas sim porque prevaleceu o diálogo, típico de governos populares e do PT, que acatou diversos pontos da categoria que, aliás, tem muita importância na História petista.

O governo não vai cortar ponto de ninguém, como foi veiculado precipitadamente, e incluiu os funcionários no Plano de Cargos e Salários, já enviado à ALEPA, no prazo acertado com o SINTEPP e com previsão de ser votado até o dia 15 de junho.

Ganham, portanto, os professores, que conquistarão esse tão sonhado PCCR, que a governadora Ana Júlia tornou realidade após muitas lutas contra os governos passados das elites; os estudantes, que não serão prejudicados no calendário escolar; a sociedade, que terá uma educação cada vez melhor; e o governo, que fez jus à sua vocação democrática, de estar ao lado dos trabalhadores.

Parabéns às partes envolvidas, especialmente ao chefe da Casa Civil, Everaldo Martins, que negociou tudo dentro da melhor tradição de esquerda. O resto, são factóides eleitoreiros da oposição de direita.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Energia e Saúde para Augusto Corrêa

No último domingo participei de mais uma etapa do programa Luz para Todos, desta vez no município de Augusto Corrêa. Serão beneficiadas mais de 6.525 moradores em 1.305 domicílios, distribuídos em 22 comunidades.

Esta nova etapa beneficia as comunidades de Queixada, Emboraizinho, Santa Luzia, Piçarreira, Rio do Meio, Araticum, Cupu, Patal 1 e 2, Boa Fé, Pontinha, Baixa Verde, Braço Grande, Nova, Livramento, Machado, Aturiaí e Anoirá. Com a obra, já são 7.305 pessoas contempladas pelo programa no município, em 1.461 domicílios, num total de investimentos de R$ 3,3 milhões.

Estive ao lado do prefeito Amós Bezerra, que demonstrou alegria ao afirmar que os sonhos de 40 mil habitantes de Augusto Corrêa começam a se realizar com os investimentos feitos pela governadora Ana Júlia. Esta é mais uma obra que comprova o momento de desenvolvimento do estado do Pará.

Mais saúde para quem precisa de cuidado

Também estive com os companheiros Beto Faro e Amós Bezerra recebendo ambulância que vai ser destinada aos moradores da reserva extrativista Araí Peroba. Uma merecida homenagem foi feita ao vereador Chico do Araí (in memoriam), por meio de imagem na lateral do veículo. Esta é mais uma vitória para a população que contou com nosso apoio.